Aluguel de Ferramentas









Notícias

RSS Feed - Notícias - Mantenha-se Informado


13/05 - 13 de maio, quinta-feira
Bom dia. Veja o que você precisa saber para começar o dia bem informado. A CPI da Covid esquentou com o depoimento de Fabio Wajngarten. Hoje, a comissão ouve os executivos da Pfizer. Resultado de pesquisa Datafolha já preocupa aliados do governo e a cúpula do Palácio do Planalto. Réu do crime da mala pega 50 anos de prisão. Pesquisa mostra que as mulheres ainda ganham menos. E quem é Lucas Beat? CPI da Covid Fabio Wajngarten, ex-secretário de Comunicação do Planalto, depõe na CPI da Covid Eraldo Peres /A P Photo Fabio Wajngarten passou o dia todo na CPI ontem, mas esse depoimento ainda vai render. O senador Omar Aziz (PSD-AM), presidente da comissão, encaminhou as declarações do ex-secretário de Comunicação do governo ao Ministério Público. O objetivo é investigar se Wajngarten mentiu e cometeu o crime de falso testemunho. No depoimento, o ex-auxiliar de Bolsonaro se esquivou de perguntas, defendeu o presidente e elogiou o ex-ministro Pazuello. Veja como foi. O relator Renan Calheiros (MDB-AL) comparou as declarações escorregadias de hoje às de uma entrevista na qual Wajngarten apontou "incompetência" do governo, disse que o ex-secretário estava mentindo na CPI e ameaçou várias vezes pedir a prisão dele. No fim, o envio do depoimento ao MPF foi a saída encontrada. OCTAVIO GUEDES: Wajngarten revela face do neobolsonarismo Bate-boca: no fim da tarde, o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) foi até a CPI para defender Wajngarten e provocou tumulto ao xingar Renan Calheiros de "vagabundo" (veja no vídeo). Flávio não faz parte da CPI. VÍDEO: Flavio Bolsonaro chama Renan Calheiros de 'vagabundo' e CPI é suspensa Um ponto importante do depoimento foi a revelação de que o governo ignorou por dois meses uma carta em que a Pfizer ofereceu vacinas contra a Covid-19 ainda no ano passado. O colunista Valdo Cruz publicou o documento na íntegra (leia aqui). Para a oposição, é uma evidência clara de que o governo não priorizou a proteção dos brasileiros contra o coronavírus. Hoje a CPI vai ouvir justamente os executivos da Pfizer. O G1 transmite ao vivo. E O Assunto analisa o depoimento de Fábio Wajngarten e o agito no dia da CPI da Covid. Ouça: Datafolha A pesquisa Datafolha divulgada ontem acendeu o sinal de alerta entre aliados do governo e até mesmo no Palácio do Planalto. O levantamento mostra que o ex-presidente Lula lidera a corrida eleitoral e derrota o presidente Jair Bolsonaro no segundo turno, por ampla margem de votos. Lula tem 41%; Bolsonaro, 23%; Moro, 7%; e Ciro, 6% no 1º turno 45% reprovam governo Bolsonaro e 24% aprovam Crime da mala Carlos Eduardo dos Santos foi condenado pela morte da menina Rachel Genofre Reprodução / RPC Carlos Eduardo dos Santos foi condenado a 50 anos de prisão pela morte da menina Rachel Genofre. O corpo de Rachel foi encontrada em uma mala na Rodoferroviária de Curitiba em novembro de 2008. Carlos foi identificado, por exame de DNA, 11 anos após a morte da garota. Jacarezinho O que revelam os boletins de atendimento médico de 5 dos 28 mortos? Documentos descrevem faces dilaceradas, ferimentos em membros inferiores compatíveis com disparos de arma de fogo e desvios ósseos em membros superiores. Elas ainda ganham menos Mulheres têm aumento salarial maior que homens, mas renda ainda é inferior, diz pesquisa. Estudo mostra que, apesar de a diferença salarial entre homens e mulheres ter diminuído de 21% para 14%, elas ainda têm ganhos inferiores a eles. Perrengues do home office Seu computador está lento? Descubra o que pode ser a causa. Muitas abas abertas, aplicativos funcionando em segundo plano e vírus estão entre as principais razões apontadas pelos especialistas entrevistados pelo G1. Lucas Beat DJ Lucas Beat Divulgação Músico do interior de SP descobriu filão ao juntar "sofrência" com batida do funk "mandelão". Mas quem é o DJ que virou fenômeno, estourou hits como "Disco arranhado" e atrai ídolos do sertanejo e forró? 'No Limite' O que acontece quando comemos comidas exóticas, como olho de cabra e cérebro de bode no "No Limite"? Nutricionistas explicam como nosso corpo reage a carnes diferentes e dão dicas de como usar iguarias em receitas, acompanhadas de guacamole ou em moqueca. G1 já viu "Mundo em caos" desperdiça elenco estrelado com filme pouco empolgante. Aventura distópica baseada em livro teve produção atribulada e várias refilmagens até chegar às telas. Tom Holland, o novo Homem-Aranha, e Daisy Ridley, de 'Star Wars', estrelam longa. Assista ao trailer no vídeo abaixo: Assista ao trailer do filme "Mundo em Caos" Previsão do tempo Próximas horas serão de chuva forte em São Paulo e no Rio de Janeiro
Veja Mais

13/05 - Assaltante é baleado após render casal e crianças e levar carro da família na Grande BH
Homem foi atingido no peito e socorrido pelos próprios policiais que perseguiam o carro que havia roubado. Carro da família foi recuperado pelos policiais Polícia Militar/Divulgação Um homem de 24 anos foi baleado na noite desta quarta-feira (12) durante uma perseguição policial, após render uma família e roubar um carro, no bairro Inconfidentes em Contagem. O suspeito contou com a ajuda de um comparsa. Eles seguiram, de moto, o veículo da família, que saia de um supermercado, na avenida João César de Oliveira. A dupla fez o motorista parar e apontou a arma para ele e a esposa. Os filhos de 1 ano, 5 anos e 13 anos, estavam no carro e viram a cena. Perseguição ocorreu na BR-381 TV Globo/Reprodução A família foi obrigada a descer do veículo, enquanto um dos criminosos levou o carro. A polícia viu o suspeito na BR-381 e começou a seguir o carro. A perseguição durou cinco minutos. Ao perceber que o seria cercado, o motorista desceu com a arma na mai. Ele foi baleado por um dos policiais que participavam da operação. Réplica de arma que estava com o suspeito. TV Globo/Reprodução O rapaz foi levado para o Hospital Regional de Betim com um ferimento no peito. A réplica de arma que estava com ele foi apreendida. A polícia procura o outro homem que participou do assalto. Vídeos mais assistidos do G1 Minas:
Veja Mais

13/05 - Campanha 'negacionista' não foi veiculada, diz Wajngarten, mas perfil da Secom publicou peça
Ex-secretário de Comunicação foi acusado por relator de mentir à CPI da Covid. Página Governo do Brasil, em uma rede social, divulgou imagem com slogan ‘O Brasil não pode parar’. Fabio Wajngarten nega ter apresentado campanha 'Brasil não pode parar' O ex-secretário de Comunicação da Presidência Fabio Wajngarten negou, durante depoimento à CPI da Covid nesta quarta-feira (12), que a campanha publicitária intitulada “O Brasil não pode parar” tenha sido divulgada em página oficial do governo. Entretanto, em março do ano passado, o perfil Governo do Brasil, no Instagram – que é gerenciado pela Secretaria de Comunicação da Presidência (Secom) – postou uma foto com o slogan (abaixo). Mensagem e foto publicadas pelo perfil Governo do Brasil com a mensagem "O Brasil não pode parar" Reprodução/Instagram A imagem era acompanhada do seguinte texto: “No mundo todo, são raros os casos de vítimas fatais do #coronavírus entre jovens e adultos. A quase-totalidade dos óbitos se deu com idosos. Portanto, é preciso proteger estas pessoas e todos os integrantes dos grupos de risco, com todo cuidado, carinho e respeito. Para estes, o isolamento. Para todos os demais, o distanciamento, atenção redobrada e muita responsabilidade. Vamos, com cuidado e consciência, voltar à normalidade. #oBrasilNãoPodeParar.” O texto que acompanha a postagem faz referência indireta à tese do “isolamento vertical”, segundo a qual somente os mais idosos e integrantes de grupos de risco devem ficar em casa como forma de evitar contrair a Covid. A medida, considerada inviável e ineficaz por especialistas, foi defendida pelo presidente Jair Bolsonaro. O jornal “O Globo” mostrou que, após repercussão negativa, a publicação foi excluída do perfil oficial do governo. Uma juíza do Rio de Janeiro chegou a proibir o governo de veicular a campanha “O Brasil Não Pode Parar”. Inicialmente, no depoimento à CPI, o ex-secretário não soube dizer se a campanha havia sido elaborada pela Secom. "Na primeira semana de março, eu fui para os Estados Unidos com o presidente e, de lá, fiquei internado em casa por causa da Covid, senadora. É exatamente por isso que eu lamento não poder responder para a senhora", afirmou Wajngarten à senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA). Entretanto, em "live" com o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) no dia 12 de março de 2020, Wajngarten afirmou que, mesmo com a doença e em isolamento, estava trabalhando “normal”, inclusive, aprovando campanhas. Depois, novamente questionado sobre o assunto, ele alegou ter se "lembrado do tema" e reconheceu que a campanha era de autoria da Secretaria de Comunicação. "De fato, as peças foram concebidas. De fato, as peças estavam em fase de avaliação ", declarou o depoente. Senadores de oposição ao governo classificaram como “negacionista” a referida campanha, que também seria composta por um vídeo. Segundo Wajngarten, a campanha não foi autorizada e parte de seu conteúdo teria sido divulgado acidentalmente pelo ministro Luiz Eduardo Ramos, à época na Secretaria de Governo, pasta à qual a Secom era subordinada. “O ministro Ramos assumiu esse vazamento ou esse disparo acidental ainda numa fase de teste”, declarou. Durante a reunião da CPI, o relator, Renan Calheiros (MDB-AL), perguntou se nenhum órgão formal de comunicação do governo veiculou a campanha. O ex-secretário respondeu “não” e acrescentou que não concedeu autorização para a divulgação. Após essa resposta, o relator se irritou. Ele afirmou que Wajngarten mentiu porque a postagem havia sido publicada no perfil Governo do Brasil. Durante a reunião, Renan Calheiros defendeu a prisão de Wajngarten por falso testemunho, o que acabou não ocorrendo. O presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM), anunciou que enviará o depoimento do ex-secretário de Comunicação ao Ministério Público Federal, para que o órgão avalie se o empresário incorreu no crime. VÍDEO: 'Não tenho certeza se é da autoria da Secom', diz Wajngarten sobre campanha O Brasil Não Pode Parar Notas à imprensa Duas notas da Secom, publicadas em março de 2020, sobre a campanha ainda constam do site da secretaria. Na primeira, a secretaria diz que a peça "seria proposta inicial para possível uso nas redes sociais, que teria que passar pelo crivo do Governo. Não chegou a ser aprovada e tampouco veiculada em qualquer canal oficial do Governo Federal”. Na segunda nota, a Secom afirma: "Não existe qualquer campanha publicitária ou peça oficial da Secom intitulada 'O Brasil não pode parar'" e reitera que o governo não efetuou qualquer postagem. VÍDEOS: Fabio Wajngarten na CPI
Veja Mais

13/05 - Câmara aprova texto-base de projeto que dispensa licença ambiental para diversas atividades
Proposta também cria licença 'autodeclarada' para empreendimentos de baixo impacto ambiental; relator diz que texto reduz 'burocracia cega'. Ex-ministros veem 'regime de exceção'. A Câmara dos Deputados aprovou na madrugada desta quinta-feira (11) o texto-base do projeto que flexibiliza normas e dispensa uma série de atividades e empreendimentos da obtenção de licenciamento ambiental. Foram 300 votos a favor e 122 contrários. Para concluir a aprovação do projeto, os parlamentares precisam analisar os destaques, propostas que visam modificar o conteúdo. A previsão é que os destaques sejam votados na sessão desta quinta. O texto, apresentado em 2004, foi relatado pelo deputado e ex-ministro da Agricultura Neri Geller (PP-MT), um dos integrantes da Frente Parlamentar Agropecuária, conhecida como bancada ruralista. Segundo o relator, a lei busca reduzir "insegurança jurídica" em relação ao licenciamento. Para ex-ministros do Meio Ambiente, no entanto, a proposta distorce e fragiliza o procedimento, criando uma espécie de "regime de exceção". Entre outros pontos, o projeto: dispensa determinadas atividades e empreendimentos da obtenção de licenciamento ambiental; permite a licença 'autodeclarada' para empreendimentos de baixo impacto ambiental, que poderá ser obtida sem análise prévia pelo órgão ambiental; concentra o poder decisório sobre o licenciamento ao órgão regulador, retirando o poder de veto das comunidades indígenas; permite a junção de duas licenças em uma só; exclui as terras indígenas não demarcadas e os territórios quilombolas não titulados da análise de impactos. Deputados votam projeto de lei que flexibiliza licenciamento ambiental Debate Para Neri Geller, a proposta reduz a "burocracia cega" e permite que órgãos ambientais foquem na análise técnica e na fiscalização. "Em nosso quadro atual, o gestor não possui um parâmetro seguro para atuar, o empreendedor fica à mercê de uma gritante imprevisibilidade e o meio ambiente não é preservado", escreveu Geller. Ex-ministros, contudo, criticaram a urgência na discussão e disseram que o texto prejudica o desenvolvimento sustentável do país. "Ao contrário do interesse maior do Brasil de promover o desenvolvimento sustentável em convergência com nossas metas de proteção da biodiversidade e de mitigação e adaptação às mudanças climáticas, o projeto em referência praticamente fulmina de morte um dos principais instrumentos que deveria nos guiar para alcançar tais metas", afirmaram 9 ex-ministros em uma carta aberta divulgada na segunda-feira (10). Durante a análise do texto, a deputada indígena Joênia Wapichana (Rede-RR) chamou a proposta de "mãe de todas as boiadas" e disse que é uma "estratégia escancarada, via desmonte ambiental, para beneficiar exclusivamente os grandes empreendimentos, agronegócios, hidrelétricas, ferrovias, mineradoras, linhas de transmissão de energia”. O líder da oposição, deputado Alessandro Molon (PSB-RJ), disse que o texto aprovado na Câmara "jamais foi debatido com a sociedade, com ambientalistas, cientistas e especialistas". No entanto, para Kim Kataguiri (DEM-SP), defensor da proposta, o texto traz segurança jurídica "ao unificar 27 mil normas", entre portarias, decretos e resoluções da União, estados e municípios. Deputados querem analisar, ainda nesta semana, projeto de lei que flexibiliza licenciamento ambiental Dispensa de licenciamento O texto dispensa 13 empreendimentos ou atividades do licenciamento ambiental, entre elas obras para distribuição de energia elétrica até o nível de tensão de 69 quilovolts e sistemas e estações de tratamento de água e de esgoto sanitário. Também não precisarão de licenciamento, caso o texto seja aprovado: atividades de caráter militar previstos no preparo e emprego das Forças Armadas; atividades considerados de porte insignificante pela autoridade licenciadora; atividades que não se incluam nas listas de atividades ou empreendimentos sujeitos a licenciamento ambiental; obras e intervenções emergenciais de resposta a colapso de obras de infraestrutura, acidentes ou desastres; obras e intervenções urgentes que tenham como finalidade prevenir a ocorrência de dano ambiental iminente ou interromper situação que gere risco à vida; serviços e obras direcionados à manutenção e melhoramento da infraestrutura em instalações pré-existentes ou em faixas de domínio e de servidão, incluindo dragagens de manutenção; pontos de entrega voluntária ou similares abrangidos por sistemas de logística reversa; usinas de triagem de resíduos sólidos, mecanizadas ou não, devendo os resíduos ser encaminhados para destinação final ambientalmente adequada; usinas de reciclagem de resíduos da construção civil, devendo os resíduos ser encaminhados para destinação final ambientalmente adequada; pátios, estruturas e equipamentos para compostagem de resíduos orgânicos; ecopontos e ecocentros, compreendidos como locais de entrega voluntária de resíduos de origem domiciliar ou equiparados, de forma segregada e ordenada em baias, caçambas e similares, com vistas à reciclagem e outras formas de destinação final ambientalmente adequada. Conforme ex-ministros do Meio Ambiente, as alterações, especialmente as relacionadas às usinas de reciclagem de resíduos da construção civil, têm potencial impacto em regiões urbanas, sobretudo nas periferias, afetando comunidades carentes. Além disso, o relator dispensou de licenciamento: cultivo de espécies de interesse agrícola; pecuária extensiva e semi-intensiva e intensiva de pequeno porte; pesquisas de natureza agropecuária sem risco biológico. Segundo Geller, o licenciamento neste caso "seria desnecessário e irracional" e indicaria "mero procedimento burocrático sem qualquer benefício ambiental", uma vez que as atividades já estão sujeitas a normas específicas que regulam a cadeia produtiva. Câmara deve votar projeto que flexibiliza licenciamento ambiental; Miriam Leitão comenta Licença 'autodeclarada' O projeto também cria a figura da licença ambiental por adesão e compromisso (LAC), considerada pelos parlamentares uma licença autodeclarada que poderá ser obtida sem fiscalização de órgãos ambientais. Segundo o texto, essa modalidade poderá ser concedida se a atividade ou empreendimento não for considerado um potencial causador de degradação ao meio ambiente e: sejam previamente conhecidas as características da região de implantação; as condições de instalação e operação da atividade ou empreendimento; os impactos ambientais da tipologia da atividade ou empreendimento; as medidas de controle ambiental necessárias. Conforme o texto, as informações fornecidas pelos solicitantes da licença deverão ser conferidas e analisadas pela autoridade licenciadora "por amostragem", incluindo a realização de vistorias, estas também "por amostragem". Os ex-ministros da área criticam este ponto por acreditarem que essa passará a ser a regra predominante para o licenciamento ambiental, obtida automaticamente e sem controle prévio. Esta modalidade de licenciamento também poderá ser aplicada a serviços e obras direcionados à ampliação de capacidade e pavimentação em instalações pré-existentes ou em faixas de domínio e de servidão. “Isso abrange empreendimentos cuja implantação historicamente causa mais de 95% do desmatamento na Amazônia, como a pavimentação ou a ampliação de estradas e a ampliação de hidrelétricas, os quais poderão ser realizados sem a adoção de qualquer medida destinada a conter o impacto do desmatamento e da grilagem de terras no bioma”, criticam os ex-ministros em carta. Durante a votação no plenário, o relator colocou uma trava no texto para que atividades minerárias de grande porte ou de alto risco não possam se beneficiar das alterações do projeto. Com isso, esses empreendimentos vão continuar seguindo as regras do Conselho Nacional do Meio Ambiente. A mudança é vista como uma pequena vitória da bancada ambientalista em plenário, que articulou este acordo. Outra mudança feita em plenário, a pedido da bancada ambientalista, foi a previsão de que a licença autodeclarada para duplicação de rodovias não pode ser feita quando houver "significativo impacto ambiental". Poder de decisão A proposta também concentra o poder decisório sobre o licenciamento ao órgão regulador - o Ibama em nível federal e demais autoridades licenciadoras em nível estadual e municipal -, retirando o poder de veto das comunidades indígenas. Segundo o relator, todos os atingidos e autoridades envolvidas serão ouvidos, "mas é preciso concentrar o poder decisório nas autoridades licenciadoras, pois são elas que possuem o corpo técnico adequado para a análise e que têm o dever funcional de autorizar ou não o empreendimento". Fusão de licenças O projeto permite ainda o licenciamento bifásico de empreendimentos lineares. Licenciamento bifásico é, na prática, a junção de duas licenças em uma só. Empreendimentos lineares são aqueles projetos de infraestrutura necessários a atividades humanas e que se estendem por grandes áreas, como linhas de transmissão, dutovias, hidrovias, ferrovias, rodovias entre outras. Atualmente, é exigida uma licença para a instalação das redes e outra para autorizar o início da operação. Pelo texto, ferrovias, linhas de transmissão de energia, gasodutos e minerodutos poderão adotar o procedimento bifásico de licenciamento. Caso haja condição específica que justifique licenças em fases distintas, as autoridades poderão requerer o licenciamento trifásico. Outros pontos Saiba outros pontos previstos no projeto: Terras indígenas e quilombolas: o relatório exclui as terras indígenas não demarcadas e os territórios quilombolas não titulados da análise de impactos e da adoção de medidas para prevenir danos ambientais. Segundo os ex-ministros do Meio Ambiente, essas terras não demarcadas e não tituladas representam, respectivamente, 25% e 87% do total. Estados e municípios: O texto também autoriza estados e municípios a dispensarem atividades impactantes de licenciamento ambiental, o que, segundo ex-ministros da área, gera “uma corrida pela flexibilização ambiental entre entes para atrair investimentos sem respeito à legislação”. Condicionantes ambientais: pela proposta, as medidas para compensar impactos ambientais devem ser proporcionais e baseadas em fundamentação técnica que aponte nexo causal com esses impactos para, segundo o relatório, não obrigar uma compensação de danos feitos por terceiros. O texto também dispensa essas medidas em caso de contenção de danos causados por omissões do poder público. Uso do solo: o texto desobriga o empreendedor de obter uma certidão de uso, parcelamento e ocupação do solo urbano, emitida pelos municípios, como condicionante para conseguir o licenciamento ambiental. Crimes ambientais: o relatório altera a Lei de Crimes Ambientais para dobrar a pena de quem realiza obras sem licença ou autorização de órgãos ambientais. Hoje, a pena é de prisão de um a seis meses e multa. A pena também pode ser dobrada se o licenciamento estiver sujeito ao Estudo de Impacto Ambiental.
Veja Mais

13/05 - Missas, procissão e novenas marcam festejo à Nossa Senhora de Fátima em Macapá
Programação acontece nesta quinta-feira (13) e será transmitida pelas redes sociais do Santuário. Santuário Nossa Senhora de Fátima, em Macapá Danillo Borralho/Rede Amazônica Peregrinação, missas e terços fazem parte do festejo em homenagem ao dia de Nossa Senhora de Fátima nesta quinta-feira (13) em Macapá. As atividades encerram ainda a trezena, instituída pelo Papa Francisco, e que prevê 13 dias de profunda oração pelo fim da pandemia. Neste ano, a festividade deve seguir todos os protocolos de segurança e permite o número máximo de 150 pessoas dentro do Santuário. Toda a programação será transmitida pela internet. As celebrações iniciam logo pela manhã com terço e missa, mas para quem não pode participar, haverá outras programações religiosas durante todo o dia. Às 16h, começa a peregrinação com saída da frente do Santuário Nossa Senhora de Fátima. Os participantes devem percorrer um circuito com o seguinte itinerário: Saída do Santuário pela Avenida Cora de Carvalho, Rua Leopoldo Machado; Avenida Mendonça Júnior; avenida; Rua Hamilton Silva; Avenida Mendonça Furtado; Rua Professor Toste; Avenida Antônio Coelho de Carvalho; Rua Paraná, Rua Pedro Oliveira Gomes; Rua Secundino Campos; Avenida Raimundo Pequilo Gomes Almeida; Avenida Celestino Pinheiro; rua Minas Gerais; Avenida Reinaldo Damasceno; Avenida Raimundo Alvares da Costa; Rua Marcelo Cândia, chegada no Santuário pela Avenida Cora de Carvalho. Foram incluídos dentro do percurso três casas de saúde: Hospital de Emergência (HE), Hospital São Camilo e a Unidade Básica de Saúde Rosa Moita. Segundo os organizadores, o objetivo é levar a benção e o conforto para as pacientes internados nesses locais e seus familiares. Após o término da peregrinação, terá missa no Santuário com o limite máximo de 150 pessoas. Em seguida, acontecerá a programação cultural com a participação de bandas católicas e sorteio de prêmios com transmissão pelas redes sociais do santuário (através o link). Programação: Dia 13 (quinta-feira) 6h30 e 17h – Terço mariano 8h – Missa celebrada pelo bispo Dom Pedro José Conti 12h – Missa celebrada pelo padre Railson Carneiro 16h – Peregrinação de Nossa Senhora de Fátima 18h – Missa celebrada pelo padre Francivaldo Lima 19h – Live com bandas católica e sorteio de prêmios Veja o plantão de últimas notícias do G1 Amapá ASSISTA abaixo o que foi destaque no AP:
Veja Mais

13/05 - Lideranças comunitárias participam do 'Afluentes Digital'
Encontro reuniu equipe da Prolagos e representantes de associações de moradores. Lideranças comunitárias participam do 'Afluentes Digital' Prolagos Com o objetivo de estar cada vez mais próxima da comunidade, a Prolagos, empresa do grupo Aegea Saneamento, realizou mais uma edição virtual do encontro mensal do programa Afluentes, canal de comunicação e aproximação entre a empresa e lideranças comunitárias. O foco dessas reuniões é compartilhar informações sobre os serviços da concessionária e entender as principais demandas dos bairros da área de atuação da empresa. O bate-papo, conduzido pela equipe de Responsabilidade Social, criou uma oportunidade para que as associações tirassem dúvidas com o setor Comercial da concessionária sobre como entender o consumo por meio do hidrômetro, equipamento que mede o volume de água utilizado por um imóvel. Além disso, a reunião contou com a participação de Gabriela Negreiros, coordenadora de Operações e responsável pela Estação de Tratamento de Água da empresa, que deu dicas de uso consciente da água. “Nestes encontros, conseguimos dar autonomia aos líderes para que eles façam a gestão de seu consumo e analisamos junto com eles cada caso solicitado. Já trouxemos temas como análise de fatura, canais de atendimento e agora falamos sobre como é realizada a leitura do hidrômetro. Por meio desse contato, conseguimos levar mais conhecimento e ficar mais próximo das comunidades”, explica a responsável pelo programa e principal contato com os integrantes do Afluentes, Angélica Braz. Os representantes das associações aproveitaram o momento para tirar dúvidas, apresentar demandas dos bairros e trocar ideias que podem proporcionar uma melhor experiência aos moradores de suas localidades. “Este é um contato que está trazendo muito esclarecimento e estamos replicando tudo aquilo que aprendemos nas reuniões. É muito importante ter o conhecimento e levar para a comunidade”, comenta o presidente da Associação de Moradores de Monte Alegre, em Cabo Frio, Rogério Fernandes. Os encontros online, realizados por meio da plataforma Microsoft Teams, ampliam o trabalho já realizado presencialmente e localmente antes da pandemia. A iniciativa apresenta diversas áreas da empresa para os líderes, que podem escolher os temas de acordo com as necessidades dos bairros.
Veja Mais

13/05 - Auxílio Emergencial 2021: Caixa libera saques e transferências a nascidos em outubro; veja calendários
Pagamento da primeira parcela do benefício terminou em abril para todos os públicos; veja os calendários das próximas parcelas. A Caixa Econômica Federal (Caixa) libera nesta quarta-feira (12) os saques e transferências da primeira parcela do Auxílio Emergencial aos beneficiários que não fazem parte do Bolsa Família nascidos em outubro, que receberam a parcela em poupança social digital no dia 27 de abril. O pagamento da primeira parcela do auxílio para este público terminou em 29 de abril. Para quem faz parte do Bolsa Família, os pagamentos foram até 30 de abril. Os pagamentos da segunda parcela do benefício começam em 18 de maio para o público do Bolsa Família, e em 16 de maio para os demais beneficiários (veja nos calendários mais abaixo). Terei direito? Quanto vou receber? Veja perguntas e respostas Veja o calendário completo Veja como saber se você vai receber Saiba como contestar se você teve o beneficio negado Beneficiário precisa estar com o CPF regular; saiba como fazer SAIBA TUDO SOBRE O AUXÍLIO EMERGENCIAL Auxílio emergencial 2021: entenda as regras da nova rodada VEJA QUEM PODE SACAR A PARTIR DESTA QUINTA: trabalhadores que não fazem parte do Bolsa Família, nascidos em outubro Os trabalhadores podem consultar a situação do benefício pelo aplicativo do auxílio emergencial, pelo site auxilio.caixa.gov.br ou pelo https://consultaauxilio.cidadania.gov.br/ Calendários de pagamento Veja abaixo os calendários de pagamento. BENEFICIÁRIOS DO BOLSA FAMÍLIA Auxílio Emergencial 2021 Bolsa Família Economia G1 BENEFICIÁRIOS FORA DO BOLSA FAMÍLIA Auxílio Emergencial 2021 - Calendário para trabalhadores fora do Bolsa Família Economia G1 VÍDEOS: as últimas notícias sobre o Auxílio Emergencial
Veja Mais

13/05 - 45% reprovam governo Bolsonaro e 24% aprovam, aponta pesquisa Datafolha
A pesquisa ouviu 2.071 pessoas nos dias 11 e 12 de maio. A margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos. Levantamento do instituto Datafolha divulgado nesta quarta-feira (12) pelo site do jornal "Folha de S.Paulo" informa que caiu 6 pontos percentuais a aprovação ao governo Bolsonaro e cresceu 1 ponto a reprovação ao governo. Veja os resultados da pesquisa: Ótimo/bom: 24% (eram 30% no levantamento anterior) Regular: 30% (eram 24%) Ruim/péssimo: 45% (eram 44%) Não sabe: 1% (eram 2%) A pesquisa ouviu 2.071 pessoas nos dias 11 e 12 de maio por telefone em razão das limitações motivadas pela pandemia de Covid-19. A margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos. De acordo com o Datafolha, 45% dos entrevistados classificaram o governo como ruim ou péssimo — eram 44% no levantamento anterior, entre 15 e 16 de março. Os que consideravam o governo ótimo ou bom eram 30% e agora são 24% e os que julgavam regular eram 24% e agora são 30%, segundo o instituto.
Veja Mais

13/05 - Motorista é preso após ultrapassar blitz e agredir dois policiais em Fortaleza
A perseguição contra o suspeito começou na Avenida Leste Oeste e encerrou na Praia de Iracema. Agentes da AMC e BPRE participam de blitz desrespeitada por motorista em Fortaleza. Paulo Sadat/SVM Um homem foi preso, na noite desta quarta-feira (12), depois de uma perseguição que começou quando ele desrespeitou uma blitz que acontecia na Avenida Leste Oeste, em Fortaleza. O suspeito ainda agrediu dois policiais quando foi abordado pelos agentes. Ele foi detido na rua Xavier de Castro, já na Praia de Iracema, quando a perseguição encerrou. Um dos policiais agredidos teve o nariz fraturado e foi socorrido a uma unidade hospitalar. O G1 aguarda mais informações da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS). A blitz acontecia no Bairro Pirambu, com agentes da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania e do Batalhão de Polícia Rodoviária Estadual (BPRE). O homem foi preso e encaminhado ao 2º Distrito de Polícia Civil, no Bairro Meireles. Assista às notícias do Ceará no G1 em 1 Minuto
Veja Mais

13/05 - Decreto regulamenta criação de projeto habitacional para agentes de segurança no Pará
Medida deve contemplar servidores com um porte financeiro no valor de até R$ 10.000, por beneficiário. Decreto estadual regulamenta lei que cria projeto habitacional para agentes da segurança Um decreto publicado nesta quarta pelo Governo do Pará regulamentou a leit que cria o projeto habitacional para agentes de segurança pública do Estado. A medida deve contemplar servidores integrantes do Sistema Estadual de Segurança Pública e Defesa Social (Sieds), com um aporte financeiro no valor de até R$ 10.000, por beneficiário, observando critérios de seleção e priorização. Segundo o governo, o valor poderá ser aplicado na aquisição de unidade habitacional, reforma de unidade habitacional, requalificação de imóvel urbano para fins habitacionais ou construção de unidade habitacional. Interessados devem aguardar a publicação dos editais que serão publicados para cada modalidade, a exemplo de aquisição, reforma, requalificação ou construção, nos sites dos órgãos de segurança pública. O secretário de Segurança Pública, Ualame Machado, disse "já havia sido liberado crédito habitacional para que agentes de segurança pública de modo geral, de todo o sistema, pudessem financiar imóvel a juros muito baixos, junto ao Banpará, porém havia ainda dificuldade de que alguns não tinham como realizar o pagamento da entrada, já que o Banpará não pode financiar 100% o valor total, por proibição do Banco Central". Com o decreto, tanto para aquisição, reforma, readequação ou até empreendimentos novos, Machado disse que a segurança pública está cedendo a policiais, os que ganham até R$9 mil de vencimento por mês, o aporte de cerca de R$10 mil reais para que possa dar entrada no imóvel e financiar o restante junto ao Banpará. Para se candidatar ao benefício, o servidor precisa: integrar o Sieds, ter renda familiar bruta mensal de até R$ 9.000,00 (nove mil reais), não ser proprietário de imóvel urbano, nem seu cônjuge ou companheiro (no caso de aquisição e construção de imóveis), não ter recebido benefício de natureza habitacional de recursos orçamentários de municípios, dos Estados ou da União, ter família constituída com, no mínimo, dois integrantes, ou ser o amparo de família.
Veja Mais

13/05 - Caso Rachel Genofre: acusado de matar menina e colocar dentro de mala, em Curitiba, é condenado a 50 anos de prisão
Corpo foi encontrado em novembro de 2008 na rodoferroviária da capital. Carlos Eduardo dos Santos foi identificado, por exame de DNA, 11 anos após a morte da garota. Júri popular ocorreu nesta quarta (12). Carlos Eduardo dos Santos foi condenado pela morte da menina Rachel Genofre Reprodução/RPC Carlos Eduardo dos Santos foi condenado a 50 anos de prisão pela morte da menina Rachel Genofre, em júri popular nesta quarta-feira (12). A condenação foi anunciada por volta das 23h pelo juiz. O julgamento aconteceu com portas fechadas, por conta do segredo de justiça. Carlos Eduardo foi condenado, por 4 votos a 1, a 40 anos de prisão pelo homicídio triplamente qualificado - mediante meio cruel, asfixia e ocultação do corpo -, e a 10 anos por atentado violento ao pudor. Rachel foi encontrada morta em novembro de 2008. O corpo foi achado com sinais de violência sexual dentro de uma mala na Rodoferroviária de Curitiba. Carlos Eduardo, que estava preso em São Paulo, foi descoberto em 2019, por meio do cruzamento de dados. Ele foi ouvido por videoconferência. Carlos é condenado pela morte de Rachel Genofre. Arquivo/Reprodução/RPC Como foi o júri O júri começou, por volta das 13h40 e foi composto por dois homens e cinco mulheres no Conselho de Sentença. Ao todo, foram ouvidas quatro testemunhas de acusação e outras três de defesa. A primeira pessoa a ser ouvida foi a mãe de Rachel, Maria Cristina Lobo. Antes de entrar para o julgamento, ela disse à RPC que estava ansiosa por esse momento, que esperou por quase 13 anos. "Foi um período muito longo, tive ajuda imensa de um movimento feminista que sempre esteve na luta conosco e assim estamos hoje com essa vitória. Um monstro a menos em nossa circulação", disse Maria Cristina. Apesar de tentar se manter firme e ter esperado por esse dia, a mãe de Rachel disse que não estava preparada. "Não tem tratamento que nos dê essa preparação, mas tem muita ansiedade, a luta durante estes quase 13 anos foi para que isso acontecesse". Para a mãe de Rachel, saber que Carlos Eduardo já estava preso e agora a condenação, é um pequeno alívio. "Um pouco de medo a menos, por saber que estava dentro de uma cadeia e naquele momento não conseguiria cometer crime nenhum contra nenhuma outra criança. Muito difícil pra mim, até mesmo a vida que eu levo, acreditar que possa existir um monstro dessa magnitude". Maria Cristina, que disse não acreditar que possa existir alguém tão brutal, comentou que a luta de quase 13 anos não vai parar por aqui. "Continuarei na luta contra esses monstros que estão à solta". Mãe de Rachel foi a primeira a ser ouvida no júri Reprodução/RPC Curitiba Depois da mãe de Rachel, também foi ouvido o pai da menina, Michael Genofre, e a delegada Camila Cecconello, que foi uma das pessoas que atuou no caso quando o suspeito do crime foi descoberto. A última testemunha ouvida foi Leandro Gonçalves dos Santos, que vendeu a mala para Carlos Eduardo. Depois dele, foi a vez do interrogatório do réu, que durou aproximadamente 1h30. Por fim, ocorreram os debates e foi feita a votação. A decisão foi anunciada por volta das 23h desta quarta-feira. O caso Rachel tinha nove anos quando desapareceu. Ela saía da escola onde estudava, no Centro de Curitiba, no fim da tarde de 3 de novembro de 2008. O acusado pelo crime foi identificado onze anos depois, em 2019, com a ajuda de exames de DNA. A identificação aconteceu após o cruzamento de dados das polícias do Paraná, São Paulo e Distrito Federal. Carlos Eduardo cumpre pena de 25 anos por outros crimes. Após a identificação, que aconteceu quando ele estava preso em Sorocaba (SP), ele confessou à polícia que matou Rachel. Segundo a acusação, o réu abordou a menina fingindo ser produtor de programa infantil de televisão no momento em que ela saia da escola. Ele convenceu Rachel a acompanhá-lo até o endereço em que estava hospedado. À polícia, Carlos Eduardo contou que a menina queria avisar os pais, mas que ele a convenceu de que era melhor ela falar com eles depois. Raquel Genofre tinha nove anos quando desapareceu Reprodução/ RPCTV Segundo o MP-PR, o réu cometeu atentado violento ao pudor e matou a criança por asfixia. Conforme a Polícia Civil, além de matar Rachel, Carlos Eduardo vinha cometendo outros crimes há mais de 30 anos. O primeiro deles, em julho de 1985, conforme o delegado, foi abuso sexual contra uma menina de quatro anos na cidade de São Vicente (SP). Investigação O corpo de Rachel foi encontrado enrolado em lençóis dentro de uma mala na rodoviária dois dias depois do desaparecimento, com sinais de violência e estrangulamento. As câmeras de vigilância interna do local não estavam funcionando, segundo a administração. Após o suspeito ser identificado, a polícia informou que diversas outras amostras de DNA foram analisadas ao longo dos mais de 10 anos de investigação. No caso de Carlos Eduardo, a polícia afirmou que foram feitos dois exames, sendo um deles uma contraprova. Corpo de Rachel foi encontrado enrolado em lençóis dentro de uma mala na rodoviária dois dias depois do desaparecimento Reprodução/RPC O que dizem as defesas O advogado de defesa de Carlos Eduardo, Roberto Rodrigues, disse que vai analisar a sentença condenatória "para manejar eventual recurso de apelação, sobretudo em relação à alta pena aplicada". "Entendo que o mérito da acusação restou decidido na noite de hoje pelo tribunal popular, competentes para julgar o caso, não havendo que se falar em decisão contrária ao conteúdo probatório dos autos pelo conselho de sentença. Carlos Eduardo foi levado a julgamento e a sociedade curitibana deu seu veredito", afirmou. Já o advogado da família, Daniel da Costa Gaspar, afirmou que esta data ficará guardada na memória todos aqueles que lutaram por justiça em nome de Rachel Genofre, e em defesa das crianças e das mulheres. "O dia 12 de maio de 2021 entrará na história da sociedade paranaense e brasileira, como o dia em que a justiça enfim foi feita, em um dos casos de assassinato e violência contra a infância, mais bárbaros ocorridos na nossa história. Abusadores e criminosos sexuais não passarão impunes. Que nenhuma criança se sinta insegura, que o estado cumpra seu papel de proteger seus cidadãos e evitar que crimes bárbaros como este ocorram novamente, e que a sociedade lembre-se sempre da memória de Rachel, para que outras vidas de crianças e adolescentes sejam salvas", disse. Começa o júri popular do caso Rachel Genofre VÍDEOS: Mais assistidos do G1 PR C Veja mais notícias da região em G1 Paraná.
Veja Mais

13/05 - Idoso centenário se recupera da Covid-19 em Breves, no Marajó
Nesta quarta, Dia Mundial da Enfermagem, filho dele enviou agradecimento a profissionais do hospital. Idoso de 101 anos se recupera da Covid-19 em Breves, no Marajó. Reprodução / Agência Pará Antônio Rodrigues da Silva completou 101 anos na segunda (10). Ele estava internado no Hospital Regional Público do Marajó, em Breves, onde vive com a família. Nesta quarta (12), Dia Mundial da Enfermagem, o filho dele, Wanderley da Conceição, de 30 anos, enviou um agradecimento à equipe do hospital pelo atendimento ao pai. "'Quero parabenizar toda equipe do hospital, em especial, aqueles que estão à frente no combate a Covid-19. Quero agradecer grandiosamente, todos que cuidaram da saúde do meu pai. Que Deus abençoe vocês e seus familiares, dando-lhe saúde, paz e vida com abundância. Muito obrigado por cuidarem do meu pai, que saiu curado da covid-19, com 100 anos de idade, parabéns pra todos e muito obrigado do fundo do coração", declarou Idoso centenário se recupera da Covid-19 em Breves, no Marajó. Reprodução / Agência Pará Rafaela Valente, que coordena a ala exclusiva da Covid-19, Antônio Rodrigues foi um caso bem peculiar por ter 100 anos de idade. Ele foi encaminhado para internação no dia 20 de abril, com desconforto respiratório, e passou dez dias sendo tratado na unidade. Segundo a profissional, no dia da alta clínica, o idoso foi recebido na saída do hospital pelo filho, que veio junto à esposa. "Foi muita emoção. Fico muito feliz em ter colaborado para recuperação dele que completou mais um ano de vida, nesta semana. Isso é recompensador. É um presente para qualquer profissional da saúde", afirmou. O Hospital de Breves já registrou 62 internações e 30 altas clínicas em casos de Covid-19 até a última terça (11). O número de leitos exclusivos para a doença foi ampliado pelo governo, passando de 13 para 23, sendo 7 de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 16 leitos clínicos. A unidade hospitalar atende outros seis municípios além de Breves - Anajás, Bagre, Curralinho, Gurupá, Melgaço e Portel. Nesta quarta, o hospital está com ocupação de 18,75% dos 16 leitos clínicos e 85,71% das UTIs.
Veja Mais

13/05 - Forte chuva causa oscilação de energia em bairros de Fortaleza e interrompe partida de futebol
A precipitação, acompanhada de ventania, surpreendeu os moradores de Fortaleza e da Região Metropolitana. Chuva forte provoca oscilação de energia em Fortaleza e Região Metropolitana Uma forte chuva surpreendeu Fortaleza e municípios da Região Metropolitana na noite desta quarta-feira (12). Além da precipitação, com raios e trovões, também foi possível sentir um vento forte. Relatos de moradores afirmam que o fornecimento de energia elétrica chegou a oscilar em bairros como Montese, Aeroporto, Meireles, Pici, Varjota, Jangurussu e Cambeba. O Bairro Cambeba, em Fortaleza, foi um dos que passou por oscilação de energia com as chuvas em Fortaleza. Reprodução Em Caucaia, o jogo de futebol entre Crato e Fortaleza precisou ser interrompido em razão da chuva e da queda de energia. A Enel, distribuidora responsável pelo fornecimento de energia, informou que equipamentos que fornecem energia a alguns bairros de Fortaleza foram danificados devido às fortes chuvas e vento que atingiram a capital cearense, causando oscilação em parte da cidade. "A distribuidora esclarece que técnicos da companhia atuaram de imediato, normalizando maior parte dos clientes", disse em nota. A Enel afirmou ainda que as equipes continuam trabalhando para restabelecer o quanto antes todo o fornecimento. Até então, o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) previa para esta noite um céu com muitas nuvens e chuvas isoladas, com vento de intensidade fraca/moderada. Veja mais notícias do Ceará
Veja Mais

13/05 - Exposição em SP conta histórias de profissionais de saúde que pegaram Covid e foram cuidados pelos colegas de trabalho
A exposição, que fica numa estação do metrô de SP, traz 19 histórias de profissionais de saúde que precisaram da ajuda da própria equipe. No dia internacional da enfermagem, JN mostra profissionais de saúde que tiveram que trocar de papeis na pandemia No Dia Internacional da Enfermagem, o Jornal Nacional traz a história de profissionais de saúde que tiveram que trocar de papéis na pandemia. Enfermeira há 20 anos, Brisa foi para a linha de frente já no início da pandemia. Acostumada a tratar dos outros, não imaginava que precisaria ser cuidada. Ela foi internada no Hospital do Servidor Público Estadual de São Paulo, onde trabalha, e recebeu os cuidados de outras profissionais da equipe: a Eleuza e a Maísa. “Logo que eu entrei, a Maísa pegava na minha mão e falava que ia dar certo, que eu ia conseguir sair, e foi a hora que a médica queria já me intubar no pronto-socorro. Eu estava muito nervosa, ela tentava me acalmar e aquilo foi muito bom para mim, e a Eleuza também. Além de trazerem para mim os remédios, eles também me traziam esperança”, contou a supervisora de enfermagem Brisa Estela dos Santos. “Eu acabei sentindo na pele o que ela estava sentindo e eu queria fazer com que aquilo se amenizasse”, disse a técnica de enfermagem Maísa Messia dos Santos. “A gente já conhece os dois lugares. Ela já esteve no lugar da gente, de cuidadora, estava sendo cuidada, e nós também já tivemos oportunidade de estar sendo cuidada também”, contou a enfermeira Eleuza Maria Monteiro. A foto da Brisa ao lado da Eleuza e da Maísa foi parar nos corredores de uma estação de metrô de São Paulo. A exposição traz 19 histórias de profissionais de saúde que pegaram Covid e precisaram da ajuda da própria equipe. “Me chamou a atenção a demonstração desse amor, desse carinho, o relato dos pacientes”, comentou a oficial administrativa Rosimeire Soares do Amaral. No esforço para salvar vidas, os profissionais de saúde têm enfrentado a sobrecarga de trabalho, o cansaço e o risco de se contaminar. Lidar com o sofrimento de um colega de trabalho pode trazer um desgaste emocional ainda maior para quem está na linha de frente. Mas, além de um recado para que as pessoas se protejam, as imagens trazem também uma mensagem de otimismo. Os sorrisos por trás das máscaras lembram que existem vitórias para se comemorar. A foto da Elaine com as colegas que cuidaram dela - a Leteia e a Aline - é um exemplo de final feliz. A técnica de enfermagem ficou 21 dias internada, oito deles, intubada. “Eu tenho duas crianças. Falei: ‘só não me deixa morrer’. Aí ela falou assim: ‘a gente não vai deixar, fica tranquila, vamos rezar’”, contou a técnica de enfermagem Elaine Cristina da Silva. “A gente rezou bastante, ali eu queria desmontar e começar a chorar, mas eu jamais ia fazer isso para ela. E ela falava assim: ‘você não me deixa morrer, não me deixa morrer’. Eu falei: ‘eu não vou deixar você morrer’”, contou a enfermeira Leteia de Santana. Leteia era a chefe da equipe que tratou a Elaine. “E aí falei: ‘olha, vamos cuidar de todo mundo e todo mundo cuida cada um de si e do outro’”, disse Leteia. O choro hoje não é mais de tristeza, são outros sentimentos que elas querem que se espalhem. “Que eles vejam que o profissional da saúde... Está difícil mesmo cuidar. É difícil cuidar de quem você ama, mas que tem muita gente saindo. Que eles não percam a fé, que eles não percam a esperança, que a ciência está aí, que Deus está aí e que vai dar certo”, afirmou a técnica de enfermagem Aline Alves Aguiar.
Veja Mais

13/05 - STF derruba extensões automáticas de patentes nos setores de saúde e farmácia a partir desta quarta (12)
Já os contratos ainda em andamento precisam ser respeitados. STF derruba todas as extensões automáticas da vigência de patentes do setor de saúde Por oito votos a três, o Supremo Tribunal Federal decidiu derrubar, a partir desta quarta-feira (12), todas as extensões automáticas da vigência de patentes nos setores de saúde e farmácia. Já os contratos ainda em andamento precisam ser respeitados. No caso das patentes dos setores tecnológicos, o fim da prorrogação automática passa a valer para os novos pedidos.
Veja Mais

13/05 - UFRJ só tem verba para custeio até julho e pode fechar prédios e desativar serviços
Com parte do orçamento bloqueado pelo governo, a universidade pode fechar também unidades de saúde e laboratórios que desenvolvem vacina contra Covid. UFRJ só tem verba para custeio até julho e pode fechar prédios e desativar serviços A Universidade Federal do Rio de Janeiro divulgou nesta quarta-feira (12) que pode suspender várias atividades a partir de julho por causa do bloqueio no orçamento feito pelo governo federal. Os cortes também atingem universidades em outros estados. Uma das esperanças na luta contra a Covid vem de um laboratório onde pesquisadores estudam um dos projetos de vacinas brasileiras contra o coronavírus. A previsão é de que, em setembro, comecem os testes em humanos. Mas esse prazo pode mudar: a Universidade Federal do Rio de Janeiro divulgou que só tem dinheiro para custeio até julho. “A pesquisa vai ficar absolutamente prejudicada, porque, a universidade fechando, o laboratório não tem como funcionar sem luz, sem água, sem limpeza, sem segurança. Não tem plano B de onde a gente poderia realizar isso no nosso país”, ressaltou Leda Castilho, professora da Coppe/UFRJ. A UFRJ apresentou os valores corrigidos do orçamento da universidade, descontando os gastos obrigatórios. Um gráfico mostra que esses números vêm caindo ano a ano, desde 2013. E atingiram o menor patamar da década agora em 2021: R$ 299 milhões. A situação é ainda mais crítica porque R$ 152 milhões desse orçamento foram bloqueados pelo governo federal. “Obviamente, atividades de pesquisa não poderão ser retomadas, outras poderão parar devido aos cortes nos contratos, e esses cortes retardarão o retorno presencial à universidade, que é o que todos nós queremos”, disse a reitora da UFRJ, Denise Pires de Carvalho. A reitoria afirma que, se não houver o desbloqueio das verbas, a UFRJ terá que reduzir ou paralisar contratos de vigilância, limpeza e manutenção predial, além de suspender as bolsas de estudo pagas pela universidade, o que pode impactar não apenas o ensino, mas também o atendimento a pacientes com coronavírus. O Hospital Universitário da UFRJ oferece 86 leitos para Covid. Um levantamento da ONG Todos pela Educação aponta que, de todos os ministérios, o MEC foi o que sofreu o maior bloqueio de verbas em 2021 e que os cortes atingiram, principalmente, o ensino superior. Na Universidade Federal de Ouro Preto, em Minas Gerais, só há recursos garantidos para o pagamento de bolsas até junho. A Federal de Goiás informa que a situação é dramática e há redução de recursos para bolsas de pesquisa e projetos de extensão. Na Universidade Federal da Bahia, os cortes também atingiram o auxílio estudantil. Na UFRJ, a falta de verbas pode suspender projetos de combate a incêndio. Em 2018, o fogo destruiu o Museu Nacional, que pertence à universidade. E, em abril, outro incêndio atingiu o prédio da reitoria. Os sinais de abandono são visíveis. Os futuros estudantes da universidade estão preocupados. “É frustrante, a gente batalhou tanto para chegar aqui, conseguiu passar no Enem e agora que entra vê essa possibilidade de fechar. É triste”, desabafou o estudante Felipe Rodrigues Barros, de 18 anos. “O impacto pode ser muito grande. Diminuição do número de leitos para Covid-19, a parada no desenvolvimento de uma vacina que pode ser a vacina brasileira. Tudo isso pode ter que ser interrompido na UFRJ neste ano, infelizmente”, disse a reitora. O Ministério da Educação informou que está trabalhando com o Ministério da Economia para que valores sejam desbloqueados e todo o orçamento seja disponibilizado para a pasta. O Ministério da Economia informou que o bloqueio tem o objetivo de atender as despesas obrigatórias da União e que, caso novas projeções dessas despesas indiquem queda do valor projetado, os valores bloqueados poderão ser reavaliados. Mas, até agora, não existe previsão para o desbloqueio.
Veja Mais

13/05 - Florianópolis aprova projeto de auxílio emergencial municipal
Lei foi publicada no Diário Oficial desta quarta. Renda deve ir para cerca de 3 mil famílias que não recebem nenhum tipo de ajuda do governo federal. Ruas e comércio de Florianópolis em junho de 2020 Eduardo Valente/Framephoto/Estadão Conteúdo Foi publicada no Diário Oficial de Florianópolis desta quarta-feira (12) a lei número 10.777/2021, que institui o auxílio emergencial municipal. De acordo com a prefeitura, a renda extra deve ir para cerca de 3 mil famílias que não recebem nenhum tipo de ajuda do governo federal (veja os critérios mais abaixo). A renda extra é para ajudar a população afetada pela pandemia da Covid-19. A prefeitura informou que há duas modalidades de apoio para contemplar famílias que estejam inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico). A primeira prevê um valor de R$ 1,5 mil dividido em cinco parcelas de R$ 300. A segunda é para famílias monoparentais em que a mãe é a provedora. Neste caso, o valor será de R$ 1.875 dividido em cinco parcelas de R$ 375. A Secretaria Municipal de Assistência Social está organizando todos os levantamentos para, até o próximo mês, poder depositar a primeira parcela do auxílio. O recebimento do auxílio emergencial é limitado a um membro da mesma família, conforme a lei. A verba para o programa é de recursos próprios da prefeitura. O projeto de lei foi aprovado ainda na noite desta quarta na Câmara de Vereadores. Critérios Podem receber o auxílio municipal as famílias inscritas no CadÚnico até dezembro de 2020 e com renda de até R$ 178 por pessoa. Elas não podem ter recebido nesse mesmo mês nenhum benefício do Bolsa Família ou auxílio emergencial do governo federal. A Secretaria de Assistência Social, está fazendo mapeamento das pessoas que serão beneficiadas. A prefeitura orientou que a população não precisa procurar a secretaria, pois a base utilizada será referente a dezembro de 2020 e a lista dos beneficiários será publicada no site do município nos próximos dias. Para saber se tem direito à ajuda municipal, a pessoa pode entrar no site do CadÚnico para ver se ele está ativo no mês de dezembro e se a renda per capta é igual ou inferior a R$ 178. Além disso, é preciso verificar também se foi recebido Bolsa Família ou auxílio emergencial do governo federal em dezembro de 2020. Isso pode ser visto no site de benefícios do governo federal. Caso a resposta para a primeira pesquisa seja sim e a da segunda, não, a família pode receber o auxílio municipal. As parcelas ficarão disponíveis para utilização pelo beneficiário por 90 dias após o depósito em conta. Não havendo movimentação após este período, o valor retornará à prefeitura. VÍDEOS: Confira as reportagens mais assistidas da NSC TV nesta semana no G1 Veja mais notícias do estado no G1 SC
Veja Mais

13/05 - Sine oferta mais de 30 vagas de emprego em Macapá para 13 de maio
Oportunidades também são para empregada domestica, cozinheiro, vendedor, cabelereiro, entre outros. Entre as vagas, há para doceiro Anna Beatriz Lourenço O Sistema Nacional de Emprego no Amapá (Sine-AP) oferta oportunidades de empregos para Macapá. O número de vagas está disponível de acordo com as empresas cadastradas no Sine e são para todos os níveis de escolaridade e experiência. O Sine recebe pela internet os currículos dos interessados nas vagas. As inscrições e cadastros devem ser feitos através do e-mail destinado para cada cidade (confira o endereço abaixo). As oportunidades estão disponíveis apenas para o dia divulgado. Veja as vagas disponíveis de acordo com as solicitações das empresas: Macapá (e-mail: sinetrabalhador@sete.ap.gov.br) auxiliar de cozinha auxiliar de escritório cabelereiro confeiteiro consultor de semi novos cozinheiro doceiro eletricista de automóveis empregada domestica engenheiro de manutenção pl fiscal de loja lanterneiro manicure marketing mecânico de motos operador de guindaste operador de sistema organizador de delivery pintor de automóveis podóloga promotora de vendas recepcionista/atendente repositor salgadeiro supervisor comercial supervisor de compras supervisor de infraestrutura tecnico multiskill telemarketing vendedor externo vendedor interno Vagas destinadas a pessoas com deficiência (PCD) auxiliar de limpeza (PCD) RH administrativo (PCD) Veja o plantão de últimas notícias do G1 Amapá ASSISTA abaixo o que foi destaque no AP:
Veja Mais

13/05 - Coronavírus no Paraná: Veja as notícias sobre a pandemia no estado
Acompanhe em tempo real a atualização das informações da pandemia no estado. Coronavírus no Paraná: Veja as notícias sobre a pandemia no estado Acompanhe em tempo real a atualização das informações da pandemia no estado. Veja a playlist com os vídeos exibidos nos telejornais da RPC. Confira a média móvel de mortes e casos de Covid-19 no estado do Paraná
Veja Mais

13/05 - Globo Repórter refaz viagem de D. Pedro II à Serra do Caraça, em Minas Gerais
Nesta sexta (14), o ‘Globo Repórter’ refaz uma viagem feita pelo imperador Dom Pedro II rumo a Minas Gerais, 140 anos atrás. Globo Repórter refaz viagem de D. Pedro II à Serra do Caraça, em Minas Gerais Nesta sexta (14), o ‘Globo Repórter’ refaz uma viagem feita pelo imperador Dom Pedro II rumo a Minas Gerais, 140 anos atrás. Nossa equipe viaja de trem, percorre estradas esquecidas, contempla cachoeiras, atravessa rios a cavalo e visita o Santuário do Caraça. Distante duas horas de Belo Horizonte, o santuário foi erguido no século XVIII, no centro de 10 mil hectares de floresta protegida, cercado com alta diversidade de vida selvagem, incluindo cervos, aves, onças, antas e o lobo-guará, símbolo do parque. Trechos do diário feito por D. Pedro II durante essa viagem também estão presentes no programa, intercalados aos cenários que encantaram o imperador: o canto das aves, as espécies de flores e plantas que só existem na região. O ‘Globo Repórter’ vai ao ar logo após a novela ‘Império’.
Veja Mais

13/05 - Covid-19: AP registra mais 6 mortes e 193 casos; são 1.601 óbitos e 108.287 infectados
Boletim desta quarta-feira (11) indicou que são 234 pacientes internados pela doença, sendo 122 em UTI e 112 em leito clínico. Centro Covid do Hospital Universitário (HU) de Macapá Danillo Borralho/Rede Amazônica O Amapá registrou nesta quarta-feira (12) mais 6 óbitos e 193 novos casos de contaminados pela Covid-19. Com isso, o estado contabiliza 1.601 mortes e chega a 108.287 infectados. Os recuperados somam 81.928, o equivalente a 75,65% do total. Média móvel de mortes e casos de Covid-19 no Amapá Mortes e casos de coronavírus nos municípios do estado Mortes Os óbitos informados no boletim do governo estadual de hoje ocorreram 4 municípios, sendo 4 em maio e os outros 2 em março e abril, que estavam em investigação epidemiológica. Veja detalhes: MACAPÁ: homem de 72 anos, com hipertensão e doença pulmonar obstrutiva crônica, falecido em 31 de março; MACAPÁ: mulher de 22 anos, sem comorbidades declaradas, falecida em 11 de abril; MACAPÁ: mulher de 39 anos, sem comorbidades declaradas, falecida em 4 de maio; OIAPOQUE: mulher de 60 anos, com hipertensão e diabetes, falecida em 10 de maio; SANTANA: mulher de 65 anos, com hipertensão e diabetes, falecida em 10 de maio; LARANJAL DO JARI: homem de 80 anos, sem comorbidades declaradas, falecido em 11 de maio; Em relação ao total de óbitos, a maior parte está concentrada em Macapá, com 1.216 registros, seguida por Santana (128), Laranjal do Jari (90) e Oiapoque (39). Vacinação Doses distribuídas: 189.285 Doses aplicadas: 142.506 Cobertura: 11,57% da população (1ª dose) e 4,96% (2ª dose) Vacinação contra Covid no Amapá: veja perguntas e respostas Vacina em Macapá: veja quem pode ser vacinado e o que fazer Internações e atendimentos Internados: 234 pacientes (122 em UTI e 112 em leito clínico) Confira a taxa de ocupação de leitos clínicos e de UTI Suspeitos de Covid-19 hospitalizados: 25 (1 em leito de UTI) Suspeitos de Covid-19 notificados: 1.848 em 10 municípios Pacientes de Covid-19 em isolamento domiciliar: 24.524 pacientes Casos Sobre os 193 novos casos, a maioria foi confirmada em Macapá (87), Santana (66) e Itaubal (9). Outros 10 municípios registraram infectados. O boletim diário não necessariamente traz os registros de infectados pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, por incluir resultados de exames de dias e meses anteriores, que estavam represados e foram lançados pelas prefeituras, ou de casos que estavam em investigação. Veja o plantão de últimas notícias do G1 Amapá ASSISTA abaixo o que foi destaque no AP:
Veja Mais

13/05 - Sindicato pede investigação contra deputado que chamou médico do Acre de mercenário durante sessão
Deputado Cadmiel Bomfim (PSDB) chamou médico Rodrigo Damasceno, de Tarauacá, de mercenário durante sessão na Aleac. Parlamentar disse que fala foi referente ao profissonal ser concursado da rede pública de Feijó, atuar em Tarauacá, e ter aberto um consultório particular em Feijó. Deputado Cadmiel Bomfim chamou médico Rodrigo Damasceno de mercenário durante sessão na Aleac Arquivo/Aleac O Sindicato dos Médicos do Acre (Sindmed-AC) vai pedir que o conselho de ética da Assembleia Legislativa (Aleac) investigue uma declaração do deputado Sgt Cadmiel Bomfim (PSDB). O parlamentar chamou o médico Rodrigo Damasceno, que atua em Tarauacá, interior do estado, de 'mercenário' durante a sessão dessa terça-feira (11). Damasceno foi fotografado atendendo um bebê de dois anos com água na cintura durante a enchente do Rio Tarauacá no mês de fevereiro, quando o município havia sido 90% atingido pelas água do manancial. No dia em que a foto foi tirada, o médico tinha ido ao local de barco com uma equipe da clínica em que trabalha fazer atendimentos de saúde e havia acabado de atender uma senhora. Foi quando passou a canoa e a mãe do bebê o chamou dizendo que o filho precisava de atendimento, pois estava com pneumonia. A direção do sindicato deve enviar a solicitação para a Aleac nesta quinta (13). O presidente do Sindmed, Guilherme Pulici, explicou que o pedido é para que investigue se houve quebra de decoro por parte do parlamentar. Pulici acredita que a declaração foi feita devido ao pedido de afastamento das função de Damasceno. Porém, ele destacou que o médico pediu afastamento sem ônus, o que não gera custos para o Estado. 'Foi uma acusação muito grave chamar o colega de mercenário, o que é infundado na nossa opinião. Ele está afastado sem ônus, então, não está gerando custo nenhum para o Estado. Ele tem a liberdade de continuar atendendo no consultório particular, não sei se ainda está funcionando, mas não pode chamar o colega de mercenário se não está ganhando sem trabalhar", declarou. Médico Rodrigo Damasceno viralizou no mês de fevereiro ao aparecer atendendo uma criança em uma rua alagada de Tarauacá Lucas Melo/Arquivo pessoal Fala na tribuna Ao G1, o deputado Cadmiel Bomfim confirmou a declaração e afirmou que a fala se referiu ao fato de que o médico fez o concurso para a cidade de Feijó, no interior, mas só atua na rede pública de Tarauacá. Já em Feijó, o profissional atenderia apenas no consultório particular. "Falei sim, chamei ele de mercenário porque quando é para trabalhar no [setor] público não quer ir, arruma um monte de desculpas. Ele fez o concurso para Feijó, que é minha cidade, e nunca trabalhou lá, sempre arranjando desculpas e tem uma clínica na cidade e atende no particular. O Ministério Público tem até que ver isso porque se a pessoa faz um concurso público para uma cidade é porque há necessidade de médico lá. Nunca assumiu o contrato dele", destacou. Sobre o pedido de investigação do Sindmed-AC, o parlamentar disse que tem o direito de falar o que quiser na tribuna. "Sem fundamento isso aí, tenho o direito de falar o que eu quiser na tribuna", resumiu. Contratos e transferência O médico Rodrigo Damasceno, que atua como ginecologista obstetra, contou ao G1 que soube da declaração do deputado pela internet. Ele afirmou que, realmente, tinha um contrato de trabalho em Feijó e outro em Tarauacá, mas atuava apenas no hospital de Tarauacá. Segundo o médico, o contrato de Feijó foi transferido para a cidade de Tarauacá há seis anos. Há pouco mais de um ano, ele abriu um consultório particular em Feijó para atender a população. "Trabalho no município de Tarauacá com os dois contratos. Sou o único especialista que tem na região, mas não consigo dar conta da demanda dos dois municípios porque precisa de mais profissionais atuando. Não concordo com a forma e nem de ele ter me chamado de mercenário como se eu tivesse fazendo partos no particular e não faço, só faço exames", afirmou. Damasceno explicou que foi informado na quinta (6), pela Sesacre, de que vai ser transferido para atender no hospital de Feijó. Mas, segundo ele, o deputado Cadmiel fez uma postagem falando sobre essa transferência na segunda (3), antes de ele ser comunicado. "Aconteceu agora de me transferirem para Feijó. Não sou contra de trabalhar em lá, mas o problema foi a forma como fui transferido. Não questionei nem o deputado pela forma que fui transferido, mas achei não certo ele ser a primeira pessoa a ter acesso a isso, da minha vida funcional, divulgou isso na segunda e só fui notificado na quinta", relatou. Na sexta (7), o médico entrou com um pedido de afastamento sem ônibus para operar um dos ombros. Ele revelou que ainda não teve uma resposta da Sesacre, mas, no domingo (9), deslocou o ombro em casa e está de atestado. "Protocolei o pedido de afastamento dos dois contratos, que é justamente para tratar do ombro e dar uma esfriada na cabeça pela forma como a Sesacre me tratou, mas, em nenhum momento questionei o fato de ajudar [a saúde de] Feijó. Mas, que fique claro, só eu indo para Feijó não resolve o problema, vou tirar apenas três plantões de 24 horas, se não for um anestesiologista não vai resolver porque vamos precisar", concluiu. A reportagem entrou em contato com a Sesacre sobre a transferência do médico e aguarda um posicionamento. Reveja os telejornais do Acre
Veja Mais

13/05 - Maduro se diz disposto a conversar com Guaidó com mediação internacional
Líder oposicionista propôs negociação para pedir eleições "livres" em troca da "suspensão progressiva" das sanções contra Venezuela. Noruega mediou negociações fracassadas entre representantes dos dois em 2019, e novas tentativas de diálogo nunca foram adiante. Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, em entrevista coletiva de 24 de janeiro Jhonn Zerpa/AFP O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, disse nesta quarta-feira (12) que está "pronto" para conversar, com mediação internacional, com o líder oposicionista Juan Guaidó, que propôs uma negociação para pedir eleições "livres" em troca da "suspensão progressiva" das sanções contra os país. "Agora o Guaidó quer sentar comigo. O que acham? (...) Concordo, com a ajuda da União Europeia, do governo da Noruega, do Grupo de Contato, quando quiserem, onde quiserem e como quiserem, estou disposto a me reunir com toda a oposição para ver o que sai de lá, se sai algo de bom e eles abandonam o caminho da guerra, da invasão, dos ataques, do golpe, e vêm para o caminho eleitoral", declarou o mandatário venezuelano. Guaidó, reconhecido em janeiro de 2019 como presidente interino da Venezuela pelos Estados Unidos e cinquenta países, mas sem ter conseguido tirar Maduro do poder, propôs na terça-feira a negociação após meses de recusa e o estabelecimento de um cronograma, que inclui eleições presidenciais, com possibilidade de revisão das sanções. "Acabou, Guaidó, acabou sua Presidência. Você é uma piada de um líder da oposição, agora você tem que falar com Maduro", disse ironicamente o governante socialista em um ato transmitido pela televisão estatal. A Noruega mediou negociações fracassadas entre os delegados de Maduro e Guaidó em 2019, congeladas quando os Estados Unidos intensificaram suas sanções financeiras contra a Venezuela. Por sua vez, o Grupo Internacional de Contato, órgão criado para buscar alternativas à crise venezuelana e formado por vários países da América e da Europa, tem defendido sem sucesso novas abordagens. Na terça-feira, após a proposta de Guaidó, Maduro reagiu convidando o opositor a participar dos diálogos iniciados com outros setores da oposição após o fracasso das negociações realizadas a pedido do governo norueguês. "Que ele (Guaidó) seja incorporado aos diálogos que já existem, que ele não se ache o líder supremo de um país que não o reconhece", declarou Maduro. A Venezuela marcou eleições para governadores e prefeitos para este ano, com data a ser definida, depois que Guaidó liderou um boicote aos principais partidos políticos da oposição contra as eleições presidenciais de 2018 e parlamentares de 2020, denunciando-as como fraudulentas. Maduro descartou categoricamente, em várias ocasiões, a possibilidade de repetir as eleições presidenciais. Vídeos: Os mais assistidos do G1 nos últimos 7 dias
Veja Mais

13/05 - Piauiense é presa em flagrante em Fortaleza tentando abrir conta bancária com documentos falsos para fazer empréstimo
Prisão ocorreu nesta terça-feira (11) em uma agência bancária do Bairro Benfica. Uma piauiense de 47 anos foi presa em flagrante nesta terça-feira (11) no momento em que abria uma conta em uma agência bancária no Bairro Benfica, em Fortaleza. Ela usava quatro nomes e três documentos de identidade diferentes para tentar abrir contas bancárias fraudulentas e solicitar empréstimos. Segundo a Polícia Civil, após investigações realizadas pela Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF), que já acompanhava a atividade suspeita da mulher, os agentes chegaram à agência bancária e realizaram a abordagem, momento em que ela tentou fornecer um novo nome falso aos policiais, mas foi descoberta. Os policiais entraram em contato com o Instituto de Identificação do Piauí, que confirmou tratar-se de documentos falsos. Também foram localizados outros documentos falsificados como carteira de trabalho, boleto de uma empresa de telefonia, além de contracheques. Ela foi conduzida para a sede da Delegacia de Defraudações e Falsificações, e autuada em flagrante por estelionato, falsificação de documentos públicos e particular, uso de documento falso e uso de documentos alheios. A Polícia Civil investiga a localização de outras pessoas que integram o grupo criminoso do qual a mulher faz parte. Veja mais notícias do Ceará
Veja Mais

13/05 - Brasil registra 2.545 mortes por Covid em 24 horas
O total de óbitos pela doença no país chegou a 428.256. A média móvel de mortes está em 1.944, queda de 23% em relação a duas semanas atrás. Foi a maior queda percentual desde o dia 11 de novembro. Brasil registra 2.545 mortes por Covid em 24 horas Os dados reunidos pelo consórcio de veículos de imprensa mostram que, nesta quarta-feira (12), a média de mortes caiu 23% em relação a duas semanas atrás. Foi a maior queda percentual desde o dia 11 de novembro. Agora, o Brasil tem média de 1.944 mortes por dia. Uma redução importante, mas é preciso que esse número caia muito mais porque ainda é altíssimo. Em 24 horas, o país registrou 2.545 mortes, totalizando 428.256. Em 24 horas, 76.638 casos foram confirmados. Já são 15.361.686 diagnósticos. A média de casos segue em estabilidade, com aumento de 1% em relação a duas semanas atrás. São, em média, 60.746 novos casos por dia. Nenhum estado está com alta na média de mortes. Sete estados estão em estabilidade. Com queda, 19 estados e o Distrito Federal. Portanto, em dois dias seguidos, o país registrou 20 unidades da federação em queda. É o maior número desde o começo da pandemia. Em 24 horas, 695.475 pessoas receberam a primeira dose e 278.294 tomaram a segunda. Em 24 horas, o total de vacinas aplicadas foi de 973.769. No país, o total de vacinados com a primeira dose chegou a 37.197.671, 17,57% da população. Receberam também a segunda dose 18.658.972 pessoas ou 8,81% da população. Veja aqui outras informações sobre o seu estado.
Veja Mais

13/05 - Câmara vota projeto que flexibiliza licenciamento ambiental
Nove ex-ministros do Meio Ambiente, de vários governos, divulgaram uma carta aberta em que demonstram apreensão com essa proposta. Deputados votam projeto de lei que flexibiliza licenciamento ambiental A Câmara está votando nesta quarta-feira (12) o projeto que muda as regras para o licenciamento ambiental no Brasil. O projeto começou a ser debatido no final da tarde no plenário da Câmara, mas os partidos de oposição estão obstruindo os trabalhos, porque as novas regras de discussão na Câmara só entram em vigor nesta quinta-feira (13). A previsão é que a sessão se prolongue pela noite. O projeto, que muda as regras para o licenciamento ambiental no Brasil, permite, por exemplo, dispensar do licenciamento várias atividades econômicas como obras de distribuição de energia elétrica, estações de tratamento de água e esgoto, usinas de reciclagem de lixo e até obras de melhoria de infraestrutura em instalações já existentes, como, por exemplo, estradas e hidrelétricas. O projeto também dispensa o licenciamento ambiental para o cultivo de espécie de interesse agrícola e para a pecuária. Propõe a criação de uma licença por adesão e compromisso, uma espécie de licenciamento ambiental por autodeclaração do responsável em caso de empreendimento que não seja potencialmente causador de significativa degradação do meio ambiente. O relator do projeto, deputado Neri Geller, do Progressistas, diz que essas mudanças vão ajudar a atrair investimentos para o Brasil, mas desde que foi apresentada, a proposta vem sendo muito criticada por ambientalistas. Nove ex-ministros do Meio Ambiente, de vários governos, divulgaram uma carta aberta em que demonstram apreensão com essas novas regras. Segundo eles, essas mudanças no licenciamento ambiental estão sendo feitas sem um amplo debate público. E se o projeto for aprovado como está, pode aumentar a insegurança jurídica no campo e também levar a mais destruição do meio ambiente.
Veja Mais

13/05 - Ex-procurador do Peru condenado por corrupção passiva é preso em Rio Branco pela Polícia Federal
Peruano era procurado pela Interpol e foi condenado em 2018 por corrupção passiva própria por pedir propina para investigada. PF prendeu ex-procurador nessa terça-feira (11). Peruano foi preso em Rio Branco nessa terça-feira (11) trabalhando como comerciante Arquivo/PF Um ex-procurador do Peru, condenado por corrupção passiva própria, procurado pelo Interpol foi preso pela Polícia Federal (PF-AC) em Rio Branco, capital do Acre, nessa terça-feira (11). O peruano, de 62 anos, estava trabalhando como comerciante em um bairro da capital acreana. A PF-AC informou que iniciou as investigações para prender o peruano há quatro meses. Segundo as investigações do Peru, o acusado, que atuava como procurador anti-corrupção em Puccallpa em 2011, teria pedido propina para uma mulher para não investigá-la. A Justiça peruana condenou o ex-procurador em 2018. Desde então, o acusado sumiu do país e entrou no Brasil. Ele teria se escondido também em Goiás por um tempo. O Setor de Inteligência da PF-AC recebeu o pedido de prisão preventiva do peruano e passou a procurá-lo para cumprir o mandado judicial, formulado pelo Escritório Central Nacional da Interpol em Brasília (DF) com base nas informações da Difusão Vermelha. O peruano foi levado para uma unidade prisional de Rio Branco. Reveja os telejornais do Acre
Veja Mais

13/05 - 'Ambulancha' do Samu, que havia sido roubada no Marajó, é encontrada em rio no Pará
A embarcação, chamada de 'ambulancha', tinha sido afundada por assaltantes no dia 1º de maio. Ambulancha usada pelo Samu é roubada em Portel, no Marajó Divulgação/ Prefeitura de Portel Uma força-tarefa encontrou nesta quarta (12) o barco do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de Portel, cidade da ilha do Marajó. A embarcação, chamada de 'ambulancha', havia sido roubada no dia 1º de maio e afundada pelos assaltantes. O crime aconteceu no rio Pacajá e um inquérito policial foi aberto para investigar o caso. A embarcação foi encontrado no rio Jabutinema, que é braço do rio Pacajá, em frente ao Igarapé Cancuera. Após a localização da embarcação, a equipe voltou a Portel para replanejar mergulhos, amarrações e procedimentos de reflutuação da 'ambulancha', que deve ocorrer nos próximos dias. Na segunda (10), o motor da embarcação foi localizado pela força-tarefa em área de mata na vila Boa Esperança, em Portel. O equipamento, avaliado entre R$70 a R$80 mil, foi devolvido à Prefeitura Municipal, assim como barco também deve ser, segundo a Segup. O secretário de Segurança Pública, Ualame Machado, disse que embarcações das forças de segurança pública continuam auxiliando no atendimento à população, que segundo ele "não ficou desassistida". "A ambulância faz as remoções no interior de doentes e, desde então, estamos empenhados em elucidar os fatos e da mesma forma prestando o apoio, quando necessário", afirmou. A força-tarefa foi coordenada pelo Grupamento Fluvial (Gflu), da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), com equipe de mergulhadores do Grupamento Marítimo Fluvial (GMAF), do Corpo de Bombeiros, em conjunto da equipe de militares da Companhia Independente Fluvial da PM (CIPFLU). A ação também teve participação do Grupamento Fluvial (GFLu), da Companhia de Policiamento Fluvial (CIPFlu) e Delegacia de Polícia Fluvial (DPFlu), além da Diretoria de Polícia do Interior (DPI) e do Grupo Tático Operacional da Polícia Militar. Investigações De acordo com a Segup, todos os envolvidos no assalto já foram identificados. A secretaria informou que alguns foram presos, mas não disse quantos, que outros estão foragidos e objetos roubados foram recuperados e devolvidos às vítimas. Informações sobre o caso podem ser repassadas ao Disque Denúncia pelo número 181 ou pelo whatsapp (91) 98115-9181, não precisa se identificar. 'Ambulancha' do Samu é encontrada em rio no Pará. Reprodução / Agência Pará
Veja Mais

13/05 - Vacinação de grávidas e puérperas no Ceará deve continuar com CoronaVac e Pfizer, recomenda secretaria
Liduina Rocha, assessora técnica da Secretaria da Saúde do estado, reforça a orientação para evitar as complicações da Covid-19 na gravidez. Vacinação de gestantes e puérperas, com e sem comorbidades, deve ser mantida com CoronaVac e Pfizer, recomenda Sesa. Prefeitura de Ipatinga/Divulgação A vacinação contra Covid-19 de gestantes e puérperas no Ceará deve seguir com a aplicação das vacinas CoronaVac e Pfizer/BioNTech, conforme recomenda a Secretaria da Saúde (Sesa) do estado. A orientação é válida tanto para aquelas com comorbidades, como as que não têm problemas de saúde. Fortaleza vai vacinar apenas grávidas com comorbidades e aguarda deliberação do Governo do Estado Governo decide só vacinar grávidas com comorbidades, veta AstraZeneca e libera uso da CoronaVac e Pfizer A orientação repassada nesta quarta-feira (12) segue, em partes, a determinação do Ministério da Saúde. O órgão ministerial anunciou nesta terça-feira (11) que a vacinação de grávidas e de puérperas no Brasil deve acontecer apenas para mulheres com comorbidades (doenças pré-existentes) e elas devem receber exclusivamente as vacinas CoronaVac e Pfizer. Liduina Rocha, assessora técnica da Sesa e consultora da Escola de Saúde Pública, justifica a decisão da equipe técnica da Saúde no Ceará: "Não ha nenhum efeito adverso em literatura com as outras duas vacinas [CoronaVac e Pfizer]. E gestantes, mesmo sem risco habitual, elas têm um potencial, possibilidade de complicação, de morbidade e de letalidade. Portanto, no Ceará a recomendaçao é que se siga aquilo que a literatura internacional [...] continua recomendando: gestantes e puérperas devem ser vacinadas, nós devemos manter no calendário de vacinação, independente de haver comorbidade ou não". No Ceará, 27 municípios vacinaram gestantes, possivelmente na primeira e segunda fase da imunização. “Gestantes e puérperas devem ser vacinadas. Nós já vínhamos mantendo no calendário de vacinação, independente de haver comorbidade ou não. Reações graves são extremamente raras”, explica Liduina. De acordo com ela, em Fortaleza houve, até esta quarta, 3.414 gestantes vacinadas: 473 com a CoronaVac 273 com a Astrazeneca e 2.668 com a da Pfizer. Já em relação às puérperas, foram 1.080 vacinadas: 334 com CoronaVac 116 com Astrazeneca e 330 com a Pfizer. Vacinação em Fortaleza Fortaleza suspendeu a vacinação contra a Covid-19 de gestantes e puérperas sem comorbidades nesta quarta-feira (12). O anúncio foi feito pela secretária de saúde do município, Ana Estela Leite. Na capital cearense, a vacinação desse público era realizada com o imunizante da Pfizer. Agora, a prefeitura aguarda a decisão do Governo do Estado, que está reunido com especialistas para decidir como vai ocorrer a vacinação em grávidas e puérperas. "Aqui em Fortaleza nessa terceira fase estávamos vacinando as gestantes e puérperas com a vacina da Pfizer. Está havendo uma discussão do Comitê Estadual, com várias autoridades da ginecologia e obstetrícia, por enquanto, a gente mantém suspensa aqui no município, até que haja uma nova deliberação", disse Ana Estela. Fortaleza mantém vacinação de gestantes usando Pfizer; cidades do CE aguardam orientação após suspensão da AstraZeneca para grávidas No início da noite desta terça-feira, a Sesa adiantou que o uso da vacina Oxford/Astrazeneca, em gestantes no Ceará seria discutido nesta quarta-feira (12). O órgão estadual informa que, até esta terça-feira (11), o monitoramento de Eventos Adversos Pós-Vacinação (EAPV) COVID-19 não encontrou complicações desta vacina em gestantes. Assista às notícias do Ceará no G1 em 1 Minuto
Veja Mais

13/05 - Com 10 mil mortes por Covid-19, famílias do ES compartilham dor da perda
O Espírito Santo superou, nesta terça-feira (11), 10 mil mortes pela Covid-19. ES passa das 10 mil mortes por Covid-19 O Espírito Santo superou, nesta terça-feira (11), 10 mil mortes pela Covid-19. Por causa dos protocolos para evitar o contágio pela doença, as vítimas não conseguiram se despedir e familiares seguem em luto pela perda de pessoas queridas. A professora Elda Alvarenga, que perdeu o pai e a mãe para a doença; a empresária Bryce Caniçali, que se emociona ao lembrar do pai; e a psicóloga Claudia Santos, que é neta de Gilson Amaro, ex-prefeito de Santa Teresa e ex-deputado estadual, relataram sobre a dor de perder familiares para a Covid-19. A violência da pandemia se evidencia com a evolução do número de mortes. No dia 6 de março de 2020, foi confirmado o primeiro caso da doença no estado. No dia 2 de abril, a primeira morte. Oito meses depois, em dezembro, já eram mais de 5 mil vidas perdidas. Essa marca já dobrou em menos de seis meses. Agora, são mais de 10 mil famílias que choram a mesma dor. Pai e mãe em menos de um dia A professora Elda Alvarenga perdeu, primeiro, a mãe Amélia para a doença. Disse que ficou 24 horas pensando como ia contar para o pai, Edson, que ela tinha morrido. Logo após enterrar a mãe, recebeu a ligação, dizendo que o pai havia morrido. "Enterramos a minha mãe, às 10 horas. Chegamos em casa, tomamos banho, almoçamos. Pensei: agora vou descansar, esperar o médico ligar. E aí o médico ligou, um pouco mais cedo que o costume, avisando que eu precisava ir no hospital. A preocupação do que falar com ele veio por água abaixo. Mas aí veio uma dor muito maior, de saber que tudo que a gente nem tinha terminado de viver, o luto pela minha mãe, seria o luto pelo meu pai", lembrou emocionada. Elda com os pais, Edson e Amélia, que morreram por causa da Covid-19. Reprodução/TV Gazeta A professora revelou que nunca pensou sobre a possibilidade da morte dos pais e relembra a data como os piores dias da família. "Todo mundo sofrendo muito, não podia abraçar os irmãos, a família, os amigos. Considero a morte do meu pai e da minha mãe uma irresponsabilidade do governo brasileiro, de não ter dado a devida atenção a essa pandemia e ter demorado muito para aceitar que a gente precisava ter um processo sanitário, comprar vacina. Não perdoo o fato da minha mãe, do meu pai, e de muitos outros brasileiros terem morrido sem ter tido a devida assistência das politicas publicas de saúde nesse pais", desabafou Elda. Os pais de Elda, Amélia e Edson, vítimas da Covid-19. Reprodução/TV Gazeta Grávida, viu velório do pai de dentro do carro Walter era policial civil aposentado, tinha 85 anos, e morreu em 2019 por causa da Covid-19. Ele é pai da empresária Bryce Caniçali. Ela relata que a relação dos dois era leve e divertida. Quando o pai morreu, uma semana depois de ser internado com Covid-19, ela tinha acabado de descobrir que estava grávida. "Ele pedia muito um netinho. Em uma das últimas conversas com ele, mandei a foto do teste e ele conseguiu dizer que estava muito orgulhoso de mim. Isso é um grande afago, porque acho que vivemos para dar orgulho aos nossos pais. É uma meta na vida", disse. Seu Walter, pai de Bryce, morto pela Covid-19 Reprodução/TV Gazeta Por causa dos protocolos, ela não pode ir ao velório. Grávida, Bryce se despediu do pai de dentro do carro. "Me vi muito sozinha. Senti a falta dos abraços, e de dar um enterro ao meu pai como ele merecia. Fomos em seis pessoas. Eu fiquei do carro porque estava gestante. Não tinha gente para segurar o caixão. Nunca imaginei esse adeus pro meu pai", desabafou. "Quando vejo as pessoas vivendo como se nada tivesse acontecido, acho que a nossa sociedade tem muito que aprender". Bryce perdeu o pai para a Covid-19 enquanto esperava a filha, Manu Reprodução/TV Gazeta Tatuagem A psicóloga Claudia Santos é neta do ex-prefeito de Santa Teresa e ex-deputado estadual Gilson Amaro, que morreu aos 75 anos, vítima da Covid-19. "Ele sempre levava alegria. Em todos os lugares que ele chegava, era o Gilson Amaro do amor, da alegria, do respeito, do carinho, que sempre lutou pela dignidade da vida humana" Em homenagem ao avô, a neta fez uma tatuagem. "O sentimento é que a Covid rouba a pessoa da gente e a gente nunca mais pode ver. Ela é sequestrada. Em um dia, você tá ouvindo a voz do seu avô. No outro dia, nunca mais vai ouvir a voz dele", lamentou a neta de Gilson Amaro. "É muita tristeza, me coloco no lugar de cada familiar. Somos uma dessas 10 mil famílias. Olha quantas pessoas estão sofrendo no estado". Claudia dançando com o avô, o ex-prefeito Gilson Amaro, na festa de formatura. Reprodução/TV Gazeta VÍDEOS: Tudo sobre o Espírito Santo Veja o plantão de últimas notícias do G1 Espírito Santo
Veja Mais

13/05 - Corpo de Gael, menino de 3 anos morto em São Paulo, é velado na Paraíba
Enterro de Gael está previsto para 9h da quinta-feira (13), no município de Prata. Mãe da criança está presa e foi indiciada por suspeita de ter matado o garoto. Corpo de Gael chega para ser velado no município de Prata, na Paraíba Artur Lira/TV Paraíba O corpo de Gael de Freitas Nunes, morto aos três anos em São Paulo, começou a ser velado às 22h desta quarta-feira (12) no município de Prata, no Cariri da Paraíba. A criança foi levada para a casa da avó paterna, onde a família começou a se despedir. Depois, o velório vai acontecer ao longo da noite na casa de parentes do menino. O velório aconteceria na quadra da Escola Cidadã Integral Francisco de Assis Gonzaga, localizada na mesma cidade, mas uma recomendação do Ministério Público da Paraíba provocou a mudança do local. Apenas familiares e amigos mais próximos poderão participar do velório, por causa da pandemia. Segundo a família do menino, o enterro dele está marcado para acontecer às 9h da quinta-feira (13), no cemitério Jardim Saudade, também em Prata. LEIA TAMBÉM: Mãe de Gael foi transferida para penitenciária em Tremembé Pai de Gael não suspeitava que ex-esposa pudesse fazer algo contra o filho Corpo de Gael, menino de 3 anos morto em SP, chega à Paraíba para ser enterrado O corpo de Gael chegou em João Pessoa, capital da Paraíba, no fim da tarde desta quarta. Felipe Nunes, o pai dele, e mais dois primos, também desembarcaram no estado. O garoto morreu na segunda-feira (10) após ter sido encontrado com ferimentos no apartamento onde morava com a mãe, a tia-avó e a irmã adolescente, na Bela Vista, região central de São Paulo (entenda o crime no fim da reportagem). A mãe da criança está presa e foi indiciada pela polícia por suspeita de matar o filho e teve a prisão preventiva decretada pela Justiça de São Paulo (leia mais e veja vídeo abaixo). Ela nega o crime. O que se sabe sobre a morte do menino Gael, de 3 anos Mãe de Gael teve prisão preventiva decretada pela Justiça, mas nega crime Andréia Freitas de Oliveira, mãe de Gael, foi presa na madrugada da terça-feira (11), menos de 24 horas após a morte do menino. De acordo com a polícia, a mulher, de 37 anos, é suspeita de ter cometido as agressões que levaram à morte da criança. O garoto chegou a ser levado para o hospital, mas não resistiu aos ferimentos. Ela foi indiciada por homicídio qualificado por meio cruel. O motivo do crime ainda é investigado. Ainda na terça (11), Andréia teve a prisão preventiva decretada pela Justiça de São Paulo. No mesmo dia, ela foi transferida para a penitenciária feminina I de Tremembé. A mulher deu entrada na P1 feminina por volta das 21h, após ser transferida do Centro de Detenção Provisória Feminino de Franco da Rocha. Andréia ficará isolada em uma cela por 15 dias, atendendo aos protocolos sanitários contra a Covid-19. O advogado Fábio Gomes da Costa, responsável pela defesa de Andréia Freitas de Oliveira, disse ao G1 que ela não se lembra do que aconteceu na noite do crime e que, ao ficar sabendo da morte do filho, chorou por 40 minutos. Ele disse ainda que Andréia não assume a autoria do crime. "Ela está muito abalada e não se lembra de nada", declarou Costa. O advogado informou que vai pedir a prisão domiciliar ou a transferência para um hospital psiquiátrico, além de um exame de insanidade mental. 'Ele dizendo ‘papai, eu te amo’ vai ficar sempre na minha memória', diz pai de Gael Pai de Gael não suspeitava que a mãe pudesse fazer algo contra o garoto Felipe Nunes, o pai de Gael, disse que nunca imaginou que a ex-esposa, suspeita de agredir a criança e provocar sua morte, pudesse fazer algo contra o filho, pois sempre demonstrou ser amorosa com ele (veja o vídeo acima). “Eu espero que a justiça seja feita, caso ela tenha feito alguma coisa contra ele, que eu acredito que sim, mas não posso julgar. Espero que ela pague pela monstruosidade que ela fez com o filho dela. Na minha frente e na frente do ex-marido dela, ela sempre foi uma mãe carinhosa”, relatou. Felipe também contou que Gael era a realização de um sonho. "O grande sonho da minha vida era ter um filho. Ela me deu, e três anos depois ela me tirou". O último encontro entre Felipe Nunes e o filho aconteceu no domingo (9), Dia das Mães. Felipe passou o fim de semana com Gael e, no final do domingo, o levou de volta para a casa da mãe. “Quando eu fui levá-lo para passar o final do Dia das Mães com a mãe, ele me abraçou, e falou ‘papai, te amo’. É isso que vou guardar”, disse. Morte de Gael Gael morreu na segunda-feira (10). Ele estava com a mãe na cozinha quando a tia-avó entrou no cômodo, após ouvir choro e barulho de vidro quebrando. De acordo com a polícia, a mãe teve um surto psicótico. Segundo o boletim de ocorrência, o menino foi socorrido e levado de ambulância para um hospital após ter sido encontrado desacordado, ferido e com parada cardíaca no apartamento na Bela Vista, no Centro da capital, onde morava com a mãe, a irmã dele de 13 anos e uma tia-avó. No vídeo abaixo, o médico que atendeu Gael conta como foi o primeiro socorro. Assista: VÍDEO: 'O tempo todo eu falava: vamos lá, Gael', conta bombeiro que tentou reanimar menino A Santa Casa de Misericórdia informou que Gael morreu no hospital. Segundo o registro policial, médicos que o atenderam contaram que o menino tinha sinais de maus-tratos pelo corpo. O documento informa que ele tinha marcas de agressões na cabeça. A 1ª Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), no Cambuci, apreendeu um anel da mãe porque, segundo os investigadores, ele é compatível com uma lesão na testa da criança. O motivo do crime ainda é investigado pela polícia, que requisitou câmeras de segurança do prédio onde a família morava para saber se elas gravaram algo que possa contribuir para o esclarecimento do caso. Vídeos mais assistidos do G1 Paraíba
Veja Mais

13/05 - Wajngarten admite que governo deixou oferta da Pfizer dois meses sem resposta
O ex-secretário de Comunicação do Palácio do Planalto disse na CPI da Covid que carta da Pfizer oferecendo a venda de vacinas foi encaminhada ao presidente Jair Bolsonaro. Wajngarten admite que governo deixou oferta da Pfizer dois meses sem resposta O ex-secretário de Comunicação do Palácio do Planalto Fabio Wajngarten admitiu, na CPI da Covid, que governo deixou oferta da Pfizer por dois meses na gaveta. A sessão foi suspensa com xingamentos do filho do presidente, senador Flávio Bolsonaro, ao relator. Na volta dos trabalhos, os senadores insistiram na pergunta sobre a carta a da Pfizer oferecendo a venda de vacinas, que o ex-secretário contou ter sido encaminhada ao presidente Jair Bolsonaro. O documento mostra que outras autoridades também receberam: ao vice-presidente Hamilton Mourão; os ex-ministros da Casa Civil, Braga Neto, e da Saúde, Eduardo Pazuello; e o ministro da Economia, Paulo Guedes, além do embaixador do Brasil nos Estados Unidos, Nestor Foster. O vice-presidente da CPI, Randolfe Rodrigues, leu trechos do documento. Na carta, de 12 de setembro, o presidente mundial do laboratório diz: "Quero fazer todos os esforços possíveis para garantir que doses de nossa futura vacina sejam reservadas para a população brasileira. Porém, celeridade é crucial devido à alta demanda de outros países e ao número limitado de doses em 2020”. E que apresentou uma proposta “ao Ministério da Saúde para fornecer a potencial vacina que poderia proteger milhões de brasileiros, mas até o momento não recebemos uma resposta”. Randolfe afirmou que, diante da revelação, ficou claro como o governo foi omisso e falhou na compra de vacinas: “Ele acaba de confirmar que durante dois meses, que chegou uma carta da Pfizer oferecendo vacina aos brasileiros, essa carta não teve resposta. Repito, essa carta foi endereçada ao presidente da República, ao vice-presidente, ao ministro da Saúde, ao ministro da Economia, ao embaixador dos Estados Unidos no Brasil. Dois meses sem resposta essa carta”. Wajngarten contou como informou ao presidente Jair Bolsonaro no mesmo dia em que tomou conhecimento da carta, em 9 de novembro. “Nesse exato momento em que o presidente da Pfizer me ligou, eu subi para o gabinete do presidente. Eu peguei autorização com ajudante de ordens. Pedi autorização e por volta, depois do almoço, das 14h30, eu falei: 'Presidente, estou com o presidente da Pfzier na linha'. Ele despachava com o ministro Paulo Guedes nesse momento. Ministro Paulo Guedes fala: ‘É esse o caminho, é esse o caminho, o caminho são as vacinas’. Paulo Guedes conversa rapidamente com o presidente da Pfizer e o presidente escreve num papel: ‘Anvisa’. Uma vez aprovado pela Anvisa, nós vamos comprar todas as vacinas. Uma conversa breve, uma conversa rápida, desligou, cumprimentou e eu desci e voltei para minha sala”, contou Fabio Wajngarten. Mas o critério usado para a vacina da Pfizer de só efetivar a compra depois da aprovação da Anvisa não se repetiu nas compras da CoronaVac e da AstraZeneca. Nos dois casos, os contratos foram fechados antes mesmo da autorização para uso emergencial pela Anvisa. A senadora Eliziane Gama voltou a perguntar sobre a entrevista à revista “Veja”, em que Wajngarten disse que houve incompetência do Ministério da Saúde na compra de vacinas. Mas, diante dos senadores, o ex-secretário insistiu que, em nenhum momento, se referiu diretamente ao ex-ministro Eduardo Pazuello. “O senhor confirma que de fato o senhor não passou a informação para revista ‘Veja’ acerca da incompetência do ministro Pazuello?”, perguntou Eliziane Gama. “Jamais. Jamais adjetivei, rotulei, emiti opinião. Até porque o meu contato com o ex-ministro Pazuello, conforme dito, foi de ‘bom dia’, ‘boa tarde’, ‘boa noite’. Nada além disso”, respondeu Wajngarten. Após as declarações, a revista “Veja” divulgou, em seu site, o trecho da entrevista em que ele fala sobre a incompetência do Ministério da Saúde na negociação de compra de vacinas da Pfizer. Repórter: Foi negligência ou incompetência? Fabio Wajngarten: Incompetência. Incompetência. Quando você tem um laboratório americano com cinco escritórios de advocacia apoiando na negociação e você tem do outro lado um time pequeno, tímido, sem experiência, é 7 a 1. Muitos senadores se irritaram com as contradições do depoimento de Fabio Wajngarten. O senador Rogério Carvalho, do PT, acusou o ex-secretário de mentir mais uma vez. Wajngarten foi questionado sobre a campanha “O Brasil não pode parar”, que incentivava a retomada de atividades durante a pandemia, e disse que não sabia se a Secretaria de Comunicação da Presidência teria sido a responsável. Mas Carvalho mostrou o vídeo de uma transmissão online em que deputado Eduardo Bolsonaro conversa com Wajngarten sobre a campanha. “O senhor mente. O senhor cuidou de tudo pessoalmente, inclusive convalescendo de Covid, como mesmo atestou em live com Eduardo Bolsonaro. É impossível que o chefe da Secom não se ocupe das campanhas do governo, especialmente a 'O Brasil não pode parar', que teve, inclusive, reflexos judiciais. O senhor disse que a Secom sempre fez campanhas de prevenção da Covid. O senhor não fez campanha nenhuma de prevenção da Covid. Nenhuma. Isso não é campanha de prevenção da Covid. Isso é o estímulo para que as pessoas se largassem à própria sorte, tomando medicamento que não tinha evidência científica”, afirmou o senador Rogério Carvalho. Apesar da campanha ter a assinatura do governo, Wajngarten disse à CPI que a campanha foi veiculada sem autorização. Renan Calheiros: Nenhum órgão do governo formal de comunicação veiculou a campanha? Fabio Wajngarten: Não, a campanha não teve autorização minha para veiculação, a campanha não foi... Renan: A pergunta não foi essa. Algum órgão oficial do governo veiculou? Ou ela vazou apenas para um site como o senhor afirmou? É uma pergunta objetiva. Wajngarten: Ao levar ao ministro Ramos essa campanha, ele disparou para o grupo de ministros e de lá eu não sei mais o que aconteceu. De fato, não houve autorização para veiculação de nada. O senador Renan Calheiros disse que ele estava mentindo mais uma vez: “Vossa senhoria, com todo o respeito, mais uma vez mente, porque está aqui uma postagem na Secom, oficial, da campanha ‘O Brasil não pode parar’. E está aqui também no site governo do Brasil também a postagem oficial. Eu não quero que... Vossa excelência mais uma vez mente. Mentiu diante dos áudios agora publicados, mentiu por ter mudado a versão com relação a entrevista que deu e continua mentindo. Continua a mentir”, disse o relator da CPI. E, de novo, pediu a prisão em flagrante: “Este é o primeiro caso de alguém que vem à comissão parlamentar de inquérito e em desprestígio da verdade e do Congresso e da representação política, mente. O presidente pode até decidir diferentemente, mas eu vou, diante do flagrante evidente, pedir a prisão de vossa senhoria. Ele pode decidir diferente, mas eu vou pedir porque o espetáculo de mentira que nós vimos hoje aqui é algo que não vai se repetir, e não pode servir de precedente”, disse. Outros senadores reforçaram. “Vossa senhoria está aqui, presencialmente, sistematicamente, faltando com a verdade, distorcendo. Vossa senhoria fala que nunca fez propaganda de tratamento precoce, e foi provado aqui que fez. Este depoente tinha que sair daqui preso, em estado flagrancial, por violar o artigo 342, com pena de reclusão de dois a quatro anos”, disse o senador Fabiano Contarato. Mas o presidente da CPI foi contra a prisão: “Eu não tomarei essa decisão, está certo, eu não tomarei essa decisão. Eu tenho tomado decisões aqui muito equilibradas até o momento, mas daí eu ser carcereiro de alguém, não. Eu não sou carcereiro de ninguém. Eu sou um democrata. Se ele mentiu, nós temos no relatório como pedir o indiciamento dele, mandar para o Ministério Público para ele ser preso, mas não por mim, mas depois que ele for julgado”, afirmou Omar Aziz. O relator insistiu: “Com todo o respeito, eu nunca imaginei isso de vossa senhoria. Eu não quero tomar individualmente nenhuma posição que possa parecer que eu estou querendo sobrepujar a posição do presidente. Longe de mim”, disse Renan Calheiros. Omar Aziz: Não, senador. Vossa excelência tinha falado comigo sobre a questão da prisão, eu disse que não iria fazê-lo. Eu não iria fazê-lo. E vossas excelências insistiram com isso. Eu não sou idiota. Não sou, não. Renan Calheiros: Não estou dizendo isso. Omar Aziz: Nós falamos aqui, eu falei: ‘Olha, não vou fazer isso’. Não façam dessa CPI um tribunal que vai prender as pessoas antes de serem julgadas. O senador Humberto Costa, do PT, sugeriu que o depoimento de Fabio Wajngarten fosse encaminhado ao Ministério Público, para apurar as declarações do ex-secretário. O senador Flávio Bolsonaro, que não é integrante da comissão e não tem participado das sessões, pediu a palavra para atacar o relator Renan Calheiros. Renan respondeu o ataque lembrando as suspeitas de rachadinha no gabinete de Flávio Bolsonaro quando era deputado estadual, ou seja, de que Flávio obrigasse assessores a dar a ele parte de seus salários. “Agora, claramente há senadores que querem usar isso aqui de palanque. Então, presidente, eu peço a vossa excelência que siga na linha do que o senhor colocou no início destes trabalhos, que a CPI busque colaborar com a vacina no braço do brasileiro, salvar vidas e não fazer de palanque como o senador Renan Calheiros tenta fazer aqui a todo momento. Está a todo momento querendo... Imagina a situação: o cidadão honesto ser preso por um vagabundo como Renan Calheiros? A desmoralização... Tão perdendo a visão do todo, tão perdendo a visão do todo”, disse Flávio Bolsonaro. Renan Calheiros: Aceito isso como um elogio. Vagabundo é você que roubou dinheiro do pessoal. Flávio Bolsonaro: Você é um vagabundo. Renan: No seu gabinete... Flávio: Vagabundo! Renan: Você que é. Você que é. Pela terceira vez, a sessão foi suspensa e retomada pouco depois. O presidente da CPI, Omar Aziz, acatou a sugestão de Humberto Costa e encaminhou o depoimento de Fabio Wajngarten para investigação pela Procuradoria da República no Distrito Federal. Por volta das 19h, o depoimento de Fabio Wajngarten foi retomado mais uma vez. O presidente da CPI, Omar Aziz, pediu que as ofensas do senador Flávio Bolsonaro fossem retiradas dos arquivos oficiais. Disse que as divergências acontecem, mas fez um apelo para que o decoro seja sempre respeitado. Aziz, então, passou a se dirigir a Wajngarten. Afirmou que o ex-secretário desagradou e desrespeitou a CPI e que a comissão não vai se deixar intimidar. “A prisão seria o menor castigo que o senhor vai sofrer na vida, o senhor não ficou com bem com ninguém. Você entregou um documento que nenhum de nós tínhamos conhecimento. A prisão não seria nada mais terrível do que você perder a credibilidade, perder a confiança e perder, principalmente, o legado que você construiu até agora. Eu lhe aconselho, quando vossa excelência for ser chamada para falar sobre o que aconteceu aqui hoje, procure falar a verdade, porque eu sei que as coisas não vão parar aqui. É natural, a CPI tem desdobramentos e os desdobramentos demoram anos às vezes para sair da vida da gente. Então vamos deixar muito claro, vossa excelência não pense que o pior na sua vida seria a prisão hoje, não seria. O pior é o legado que o você construiu com muito trabalho e que você perdeu hoje na CPI”, disse.
Veja Mais

13/05 - Contêineres dos Correios são apreendidos pela PF em empresa de João Pessoa
Investigação vai dizer se material foi desviado de forma irregular. Empresa nega e diz que trata-se de material de descarte. Contêineres dos Correios foram apreendidos em empresa do Bairro das Indústrias, em João Pessoa PF/Divulgação Um total de 68 componentes de Contêineres Desmontáveis Leves (CDL) da Empresa Brasileira de Correios e Telegráficos foram apreendidos nesta quarta-feira (12) pela Polícia Federal, em João Pessoa. O material estava desmontado numa empresa do Bairro das Indústrias, mas o responsável pelo local alegou que se tratava de descarte dos Correios, e que nada foi desviado ilicitamente. A operação, ainda assim, foi batizada de Sierra Nevada e contou com a participação de oito policiais federais. A ida ao local foi aprovada pela 16ª Vara Federal em João Pessoa. As investigações haviam sido iniciadas alguns meses atrás, depois que os Correios na Paraíba reportou à Polícia Federal que havia identificado, à venda na internet, o material que seria de sua propriedade. De acordo com os Correios, os CDLs foram possivelmente desviados da empresa de maneira irregular. Os policiais buscavam, além dos contêineres, outros elementos que ajudassem a esclarecer se o material é de fato fruto de desvio em prejuízo aos Correios. As investigações continuarão. Vídeos mais assistidos do G1 Paraíba
Veja Mais

13/05 - Confrontos entre israelenses e palestinos já deixam 67 mortos em Gaza e sete em Israel
A violência, que começou há seis dias, está ganhando a proporção de uma guerra. Violência entre israelenses e palestinos chega ao sexto dia A violência entre israelenses e palestinos, que começou há seis dias, já matou 67 pessoas na Faixa de Gaza e sete em Israel. Os confrontos estão ganhando a proporção de uma guerra. Israel bombardeia pesadamente os palestinos com aviões. Um prédio da Faixa de Gaza foi inteiramente destruído. As facções armadas palestinas disparam foguetes contra Israel: 850 em 24 horas. Alguns atingiram o centro do país, Tel Aviv. O aeroporto da cidade também era um dos alvos. As vítimas do lado israelense incluem um soldado de 21 anos, atingido por um foguete antitanque. Um foguete atingiu um prédio em Sderot, onde uma família se escondia num quarto fortificado. Um menino de 6 anos está em situação crítica. Um pai de 52 anos e sua filha de 16 morreram quando um foguete palestino atingiu seu carro em Lod. Os dois eram árabes israelenses. Os choques entre as populações se espalham em cidades próximas a Tel Aviv, em que judeus e muçulmanos convivem. Também em Lod, sinagogas e empresas foram atacadas por jovens árabes. O primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu, disse que vai restaurar a ordem com mão de ferro. O sistema de defesa antimísseis israelense, o Domo de Ferro, conseguiu interceptar entre 85% e 90% dos foguetes. Mas a intensidade da ofensiva palestina, marca uma virada nos ataques de Gaza. Há algum tempo, analistas e militares alertam que as facções acumulam um arsenal que inclui até 20 mil foguetes e mísseis. Essa quantidade permite que o Hamas e a Jihad Islâmica sigam a chamada estratégia de saturação, que consiste em tentar perfurar as defesas antimísseis israelenses, lançando um número muito alto de foguetes. O Irã não esconde o apoio aos palestinos com armas e os grupos extremistas palestinos também constroem os foguetes na própria Faixa de Gaza. Os palestinos registram as mortes de 14 crianças, entre 7 e 16 anos, mas as forças de defesa de Israel denunciaram a estratégia do Hamas de colocar bases terroristas e lançadores de foguetes no meio de áreas civis. O ministro da Defesa israelense avisou que os bombardeios vão se intensificar e que o Hamas pagará caro. Itália e Alemanha pediram o fim imediato dos ataques. Em várias cidades europeias, começam as manifestações de apoio aos dois lados. No Vaticano, o Papa Francisco acompanha com grande preocupação a escalada de violência na Terra Santa.
Veja Mais

13/05 - Polícia para motorista que dirigia BMW e acha arma, munição e drogas escondidas
Homem também não tinha carteira de habilitação. Vidros muito escuros chamaram a atenção da PM. Polícia Militar/Divulgação Um homem que dirigia uma BMW no bairro Funcionários, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte, foi preso durante uma abordagem policial na tarde desta quarta-feira (12). Carro foi cercado no bairro Funcionários, em BH. Polícia Militar/Divulgação Os militares desconfiaram do motorista porque o carro, de luxo, tinha vidros muito escuros. Os policiais fizeram uma vistoria no veículo e encontraram maconha, haxixe, munição e uma arma com a numeração raspada. Ele não tinha porte de arma. O homem, que não é habilitado, disse que andava armado para se defender, já que o carro é de alto valor. Sobre as drogas, informou que era para consumo. Material encontrado no carro. TV Globo/Reprodução O carro está em nome de outra pessoa. O veículo foi apreendido por ser usado para transportar material ilícito. O motorista foi levado para a delegacia de trânsito da capital (Detran). As drogas e a arma também foram entregues na delegacia. Vídeos mais assistidos do G1 Minas:
Veja Mais

13/05 - PF prende irmão da senadora Rose de Freitas por suspeita de desvio de dinheiro
Ele é suspeito de desviar recursos em contratos da Companhia Docas do Espírito Santo, que opera o Porto de Vitória. A Polícia Federal suspeita que a senadora influenciava na nomeação de funcionários da Codesa para desviar dinheiro da estatal. PF faz buscas em apartamento funcional da senadora Rose de Freitas Uma operação da Polícia Federal fez buscas no apartamento funcional da senadora Rose de Freitas, do MDB, e prendeu o irmão dela, suspeito de desviar recursos em contratos da Companhia Docas do Espírito Santo, que opera o Porto de Vitória. A Polícia Federal realizou buscas e apreensões em diversos endereços. Entre eles, o aparamento funcional da senadora Rose de Freitas, em Brasília, e a casa dela, em Vitória, onde os agentes apreenderam documentos e computadores.  A polícia prendeu ainda o irmão de Rose de Freitas, Edward Dickson de Freitas, e Ricardo Saiter.   Os dois já trabalharam na Companhia Docas do Espírito Santo, uma estatal que administra o Porto de Vitória, e foram exonerados em 2019. Desde então, Ricardo Saiter trabalha no gabinete da senadora.  Um terceiro suspeito foi preso na operação por porte ilegal de armas.  A Polícia Federal suspeita que a senadora Rose de Freitas influenciava na nomeação de funcionários da Codesa para desviar dinheiro da estatal.  Ainda de acordo com a investigação, eles lavavam dinheiro através da compra de imóveis de luxo e simulando serviços em um escritório de advocacia.  A atual administração da Codesa colaborou com a investigação e afirma que, entre 2015 e 2018, foram desviados mais de R$ 9 milhões em apenas dois contratos.  A senadora Rose de Freitas afirmou que foi surpreendida pelos mandados de buscas e apreensões e pelas prisões. Que nunca cometeu atos ilícitos em sua vida pública. E que vai tomar providências legais para que os fatos sejam apurados e esclarecidos. Nós não conseguimos contato com a defesa de Edward Dickson de Freitas e Ricardo Saiter.
Veja Mais

13/05 - Butantan conclui entrega de 46 milhões de doses de vacina do 1º contrato com o Ministério da Saúde
O instituto entregou nesta quarta (12) mais um milhão de doses da CoronaVac ao Programa Nacional de Imunização. Na sexta (14), o Butantan vai repassar 1,1 milhão de doses que restam no estoque, mas produção está parada por falta de insumos. Butantan entrega mais um milhão de doses ao Ministério da Saúde O Instituto Butantan entregou mais um milhão de doses ao Programa Nacional de Imunização (PNI). A remessa desta quarta-feira (12) marcou a conclusão do primeiro contrato entre o Instituto Butantan e o Ministério da Saúde. Foram 46 milhões de doses da CoronaVac enviadas ao PNI desde janeiro. Na sexta-feira (14), o Butantan vai repassar mais 1,1 milhão de doses. É a primeira parte do segundo contrato, que já está atrasado. Depois disso, o Butantan ficará com o estoque vazio. O governador de São Paulo, João Doria, do PSDB, disse nesta quarta que a matéria-prima vinda da China, suficiente para produzir 18 milhões de doses, está pronta, à espera da liberação do governo chinês. “Quero registrar que o chanceler brasileiro, Carlos França, tem ajudado e sinto disposição da ajuda do embaixador da China em Brasília, Yang Wanming, para a liberação rápida. Mas o fato é que não temos essa informação e, portanto, ainda não há liberação desses insumos, o que nos deixa preocupados, pois estamos chegando ao final da entrega, na próxima sexta-feira, das doses com insumos que recebemos 17 dias passados. Se não recebermos mais insumos, teremos que parar a produção”, declarou Doria. Para tentar destravar a vinda da matéria-prima ao Brasil, o presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas, recorreu ao embaixador do Brasil em Pequim. O governador João Doria também se reuniu nesta quarta com o embaixador da China no Brasil para pedir urgência na liberação dos insumos. Yang Wanming se comprometeu a dar uma resposta até quinta-feira (13). Um levantamento do Jornal Nacional mostra que já está faltando CoronaVac para a primeira dose em pelo menos 20 capitais; oito já suspenderam a segunda dose; e só cinco capitais e o DF ainda têm CoronaVac para as duas aplicações. Para reforçar a campanha, 628 mil doses da Pfizer chegaram na noite desta quarta ao aeroporto de Campinas para serem distribuídas aos estados. Não deixa de ser um alívio, mas é o apagão de doses da CoronaVac e a falta de previsão para chegada dos insumos que mais preocupam. “Até o final da semana passada, existia a perspectiva de autorização da exportação até o dia 13 e, na reunião da manhã, nós mantemos uma reunião diária com o vice-presidente da Sinovac, reunião diária do dia de hoje, essa previsão não vai se cumprir. Portanto, nós não temos data neste momento prevista para essa autorização”, relatou Dimas Covas.
Veja Mais

13/05 - Câmara aprova projeto que muda regimento interno e pode restringir atuação da oposição
Na prática, a mudança limita o debate e diminui a capacidade da oposição e de partidos menores atrasarem a votação de temas polêmicos. Câmara aprova projeto que muda regimento interno e pode restringir atuação da oposição A Câmara dos Deputados aprovou um projeto que muda o regimento interno da Casa, sob protesto dos partidos de oposição. Na prática, a mudança limita o debate e diminui a capacidade da oposição e de partidos menores atrasarem a votação de temas polêmicos. A partir de agora, os líderes terão menos tempo para discursar durante as sessões. Se uma matéria for considerada urgente, os partidos não poderão mais apresentar pedidos de retirada de pauta ou adiamento da discussão. A proposta também acaba com o limite de tempo para uma sessão. Antes, quando uma sessão terminava e outra era aberta em seguida, a oposição podia apresentar novamente todos os recursos possíveis em plenário. O projeto também reduziu a possibilidade de partidos da oposição apresentarem uma emenda com várias propostas de mudança a projetos, as chamadas emendas aglutinativas, que só poderão ser apresentadas por líderes que representem no mínimo 257 deputados. Parlamentares governistas elogiaram a proposta aprovada. Para eles, o texto dará mais celeridade às votações. O líder do Democratas, Efraim Filho, disse que o projeto trará "regras claras" para as votações em plenário. “Ele não está aqui prestigiando o lado A, o lado B. Dará uma regra do jogo clara, que trará eficiência, resultados firmes e saberemos que o bom debate que irá acontecer”, defendeu Efraim. Mas, de acordo com parlamentares da oposição, as mudanças vão acelerar a aprovação das matérias de interesse do governo, e diminuir o espaço do debate democrático na Câmara dos Deputados, prejudicando a atuação das minorias no Parlamento. “Isso vai acarretar um efeito colateral muito grave: todas as vezes em que se estabelecer uma maioria nesta casa, nós ficaremos sujeitos a alterações de regimento que atendam a essa maioria circunstancial. É um projeto que diminui o espaço da oposição, portanto, diminui o debate, diminui o contraditório, e nós lamentamos”, opinou o líder do PDT, Wolney Queiroz. “O que há aqui é a redução do debate político. E o que é que senão um Parlamento do que a casa do debate político? Quando se cerceia o contraditório, se fortalece o autoritarismo e nenhuma e nenhum de nós deveria aceitar que esta casa fosse palco de ampliar o autoritarismo”, declarou Talíria Petrone (PSOL-RJ). O projeto já foi promulgado e o presidente da Câmara, Arthur Lira, do Progressistas, disse que as mudanças passarão a valer a partir desta quinta (13).
Veja Mais

13/05 - Motociclista morre após cair e ser atropelado na rodovia D. Pedro I, em Campinas
Socorro chegou a ser acionado, mas óbito foi constatado no local. Acidente ocorreu na altura do Km 128. Um motociclista morreu após cair do veículo e ser atropelado por um carro que vinha logo atrás na Rodovia D. Pedro I (SP-065), em Campinas (SP), na noite desta quarta-feira (12). O socorro chegou a ser acionado, mas o óbito foi constatado no local. O nome e idade da vítima não foram divulgados. De acordo com a Rota das Bandeiras, concessionária responsável pela via, o acidente ocorreu na altura do Km 128, na pista sentido Anhanguera, por volta das 20h30. Uma faixa chegou a ser interditada para atendimento da ocorrência, mas não houve reflexos para o trânsito. Capotamento Ainda na Rodovia D. Pedro I, mas na altura do distrito de Barão Geraldo, um carro capotou, mas não houve registro de feridos graves. O motivo do incidente não foi divulgado. VÍDEOS: Tudo sobre Campinas e região Veja mais notícias da região no G1 Campinas.
Veja Mais

13/05 - Ex-detento que responde por roubo e tráfico é baleado após ter casa invadida em Macapá
Pelo menos 10 homens entraram na residência; nenhum deles foi identificado ou preso. Baleado está em observação no HE. Hospital de Emergência de Macapá (HE) Jorge Júnior/Rede Amazônica Um homem de 41 anos identificado como Demilton Damasceno dos Santos foi internado no Hospital de Emergência de Macapá após ser baleado na região do tórax dentro de casa. De acordo com a Polícia Militar (PM), a residência foi invadida por cerca de 10 homens no fim da tarde desta quarta-feira (12) na Avenida Armando Limeira Pontes, bairro Novo Buritizal, na Zona Sul. O motivo da tentativa de homicídio está sendo apurado, mas a PM informou que Demilton é ex-detento e atualmente responde pelos crimes de roubo e tráfico. Nenhum dos homens que entraram na casa foram presos ou identificados. O baleado foi levado para o HE onde está em observação. Veja o plantão de últimas notícias do G1 Amapá ASSISTA abaixo o que foi destaque no AP:
Veja Mais