Mercado imobiliário e construção civil têm previsões de crescimento para 2022

Mesmo na pandemia, o mercado imobiliário e o setor da construção civil se mantiveram em crescimento e apresentam grandes previsões para 2022

 

Mesmo em meio ao período da pandemia, o mercado imobiliário e o setor da construção civil se mantiveram em crescimento e apresentam grandes previsões para 2022

Desde o início do período da pandemia do COVID-19, o mercado internacional encontra-se bastante abalado, apesar de estar se reerguendo aos poucos, mas isso não é o que acontece com alguns segmentos do mercado nacional. Alguns especialistas comentaram, durante esta última quarta-feira, (01/12), acerca do crescimento do mercado imobiliário e da construção civil e de como esses setores estão previstos para continuar aquecidos durante 2022. 

 

Não perca outras notícias do setor:

Período da pandemia não foi capaz de conter o mercado imobiliário e a construção civil

O período da pandemia do COVID-19, principalmente nos seus estágios iniciais, foi bastante conflituoso para algumas áreas do mercado brasileiro, em razão do isolamento social que aconteceu. No entanto, o mercado imobiliário e o setor da construção civil conseguiram se manter firmes e driblar esse momento tão inesperado, se mantendo em constante crescimento, mesmo com a redução de vendas de outros segmentos do mercado nacional e internacional.

O principal ponto que levou esses setores ao crescimento nesse período foi o planejamento estratégico a longo prazo, além da rápida adaptação às necessidades impostas pelo momento no cenário mundial. O resultado dessa estratégia foi visto em resultados recentes, uma vez que, de acordo com relatório recente da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), as vendas de imóveis no país aumentaram 26,1% em 2020, o que comprova a resiliência do mercado imobiliário em meio a um momento que balançou todo o mercado global. 

Enquanto isso, o setor da construção civil não ficou para trás nos índices de crescimento e contou com uma estimativa de crescimento em 4% no PIB do setor, o maior desde 2013, segundo a Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC). Outro ponto importante foi a geração de emprego e as estimativas são de que cerca de 2 milhões de pessoas foram empregadas somente na construção civil até maio do ano de 2021.

Resultados das estratégias desses setores são visíveis na economia e na modernização da logística 

As estratégias de adaptação e o planejamento a longo prazo desses setores não só ajudou no crescimento de vendas e na geração de emprego, mas movimentou de forma significativa a economia no país. Segundo dados de projeções da CBIC mostram que em cada R$ 1 milhão de obras de casas entregues, cerca de 3,31 empregos são criados após a entrega, o que contribui para um adicional de R$ 0,16 no PIB e R$ 0,08 em tributo.

Um ponto essencial que contribuiu para essa resiliência durante o momento de pandemia do mercado imobiliário e da construção civil foram os investimentos em tecnologia, modernização e, acima de tudo, inovação. Esses fatores contribuíram para que as grandes companhias do setor pudessem usar toda a sua criatividade para contornar os obstáculos durante esse momento e potencializar o seu crescimento. 

A comprovação desse investimento em inovação é dada pelos estudos da Confederação Nacional da Indústria (CNI), que constatou em pesquisas que 80% das empresas de grande e médio porte que inovaram em 2020 e 2021 tiveram um ganho de lucratividade e vendas no fim das contas.